ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for default Cadastre-se gratuitamente para obter cotações em tempo real, gráficos interativos, fluxo de opções ao vivo e muito mais.

Vazamento de gás natural no Texas revela desafio da indústria energética na redução de emissões de metano

LinkedIn

Durante três dias em agosto, uma falha em uma válvula de uma instalação da Phillips 66 (NYSE:PSX) no Texas resultou na liberação de toneladas de gás natural, um dos principais contribuintes para o aquecimento global, diretamente na atmosfera. Surpreendentemente, esse incidente só foi comunicado às autoridades reguladoras meses depois, quando imagens de satélite identificaram a ocorrência.

A Phillips 66 também é negociada na B3 através do ticker (BOV:P1SX34).

A divulgação da liberação de 9,5 milhões de pés cúbicos de gás natural, que é composto principalmente por metano, ocorreu recentemente, chamando a atenção para uma tendência preocupante: empresas de energia frequentemente não divulgam eventos de poluição, mas pesquisadores externos acabam identificando esses incidentes.

O metano, devido ao seu potencial de aquecimento global, está no centro das discussões na cúpula climática COP28 em Dubai. Os líderes políticos veem a redução do metano como uma das maneiras mais eficazes e econômicas de combater o aumento das temperaturas globais. Nos Estados Unidos, a administração Biden implementou regras que exigirão que as empresas substituam equipamentos defeituosos, enquanto a União Europeia fechou um acordo que obriga as empresas de energia a realizar verificações regulares em sua infraestrutura para evitar vazamentos.

Satélites equipados para detectar emissões desempenharão um papel fundamental em responsabilizar os poluidores por seu impacto climático. O Enviado Presidencial Especial dos EUA para Mudanças Climáticas, John Kerry, enfatizou na COP28 a importância de identificar e expor aqueles que poluem, ressaltando que “você pode fugir, mas não pode se esconder.” O metano tem um potencial de aquecimento mais de 80 vezes maior do que o dióxido de carbono nos primeiros 20 anos em que está presente na atmosfera.

A Agência de Proteção Ambiental dos EUA anunciou novas regras na COP28 que imporão um escrutínio mais rigoroso sobre as emissões de metano por parte dos operadores de petróleo e gás nos EUA. Essas regras também exigirão que os operadores realizem verificações regulares para evitar vazamentos, estimando-se que elas possam evitar a liberação de cerca de 58 milhões de toneladas de metano entre 2024 e 2038.

A Phillips 66, em resposta ao incidente, afirmou seu compromisso com as regulamentações ambientais e está investigando o ocorrido para evitar recorrências e fornecer relatórios oportunos às agências reguladoras.

A revelação deste vazamento de metano no Texas, detectado graças à tecnologia de satélite, destaca a necessidade urgente de controlar as emissões de metano, que estão contribuindo significativamente para as mudanças climáticas. A indústria de energia enfrenta desafios crescentes para evitar vazamentos e cumprir as regulamentações, enquanto governos em todo o mundo intensificam seus esforços para limitar as emissões de gases de efeito estufa.

Deixe um comentário