ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for tools Aumente o nível de sua negociação com nossas ferramentas poderosas e insights em tempo real, tudo em um só lugar.

Ibovespa cai, 0,74%, antes de semana de decisões monetárias e impactado pela queda das ações da Vale

LinkedIn

O Ibovespa encerrou em baixa nesta sexta-feira (15), com investidores adotando cautela antes das reuniões de política monetária no Brasil e nos Estados Unidos na próxima semana. O índice também foi impactado pela queda das ações da Vale, após o minério de ferro atingir o menor valor em mais de seis meses.

O Índice Bovespa (Ibovespa), que reflete o desempenho médio das cotações das principais ações de empresas negociadas na BM&FBOVESPA, é formado pelas ações com maior volume negociado nos últimos meses.

O índice recuou 0,74%, fechando a 126.741 pontos. Na máxima do dia, atingiu 127.957,49 pontos, enquanto na mínima, ficou em 126.501,85 pontos. O volume financeiro totalizou R$ 22,6 bilhões antes dos ajustes finais, em um pregão marcado pelo vencimento de opções sobre ações na bolsa paulista.

No Brasil, o mercado está atento à decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, também agendada para quarta-feira, com expectativa de um corte de 0,50 ponto percentual na taxa Selic pela sexta vez consecutiva, para 10,75%.

A dúvida persiste sobre se o BC alterará a orientação, dada desde agosto do ano passado, de que antevê cortes de 0,50 ponto nas “próximas reuniões” – o que implica pelo menos duas reduções adicionais desse valor.

Na pauta doméstica, os dados mostraram que o setor de serviços registrou crescimento do volume em janeiro pelo terceiro mês seguido, avançando 0,7% ante o mês anterior, iniciando 2024 com desempenho melhor do que o esperado, impulsionado por cinemas e streamings durante as férias.

O dólar fechou em alta de 0,22%, a R$ 4,9986 na venda, depois de ter chegado a superar os R$ 5 nas máximas do pregão. Na semana, o a moeda acumulou alta de 0,34%.

Os principais índices acionários em Nova York encerraram em queda, à medida que os rendimentos dos títulos americanos subiram e as ações de tecnologia caíram com o clima de aversão ao risco predominando sobre o mercado, antes de uma semana com decisão de juros do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC).

Os índices Dow Jones, S&P500 e Nasdaq 100 recuaram 0,49%, 0,65% e 0,96%, respectivamente. Desde segunda-feira os índices acumularam quedas de 0,02%, 0,13% e 1,17%, na mesma ordem.

Perto das 17h, os rendimentos dos títulos do Tesouro americano de dois anos avançavam 4,1 pontos-base, a 4,732% e os de dez anos subiam 0,2 pbs, a 4,308%. Dados da Chicago Mercantile Exchange (CME) desta sexta apontaram que a inversão da curva de rendimentos de dois e dez anos atingiu o maior período, de 424 dias consecutivos, desde o início da série histórica, em 1976. A inversão da curva de rendimentos, tradicionalmente, é considerada um indicador antecedente de recessão econômica.

Investidores também calibram apostas para decisão de juros do FOMC, esperando manutenção do juro no intervalo entre 5,25% e 5,50%. O relatório trimestral “Dot-Plot”, com a mediana das projeções dos dirigentes do FOMC para os juros – entre outras variáveis macroeconômicas, também será ponto de atenção. A maior parte do mercado hoje espera o início de um ciclo de cortes pelo FED em junho.

A sessão de hoje ainda foi marcada pela “bruxaria quádrupla”, quando vencem opções em quatro mercados, sobre ações e índices e sobre futuros de ações e de índices– com vencimentos somando cerca de US$5 trilhões.

 

 

Data Variação Pontuação Volume Financeiro
01/03/2024 0,12% 129.180,37 R$ 21,1 bilhões
04/03/2024 -0,65% 128.340,54  R$ 17,6 bilhões
05/03/2024 -0,19%  128.098,11  R$ 20,5 bilhões
06/03/2024 0,62% 128.890,23  R$ 25,1 bilhões
07/03/2024 -0,43%  128.339.76 R$ 19,3 bilhões
08/03/2024 -0,99% 127.070,79 R$ 32,8 bilhões
11/03/2024 -0,75%  126.123,56 R$ 25,6 bilhões
12/03/2024 1,22%  127.667,84 R$ 23,6 bilhões
13/03/2024 0,26% 128.006,05  R$ 22,7 bilhões
14/03/2024 -0,25% 127.689,97 R$ 23,9 bilhões
15/03/2024 -0,74%  126.741,81 R$ 34,2 bilhões

DESTAQUES DO IBOVESPA – (pregão à vista)

  • ALTAS IBOVESPA

AZUL4: +6,89% a R$13,49
RECV3: +4,15% a R$ 22,85
HYPE3: +4,03% a R$ 34,10
BRKM5: +3,38% a R$ 21,71
CMIG4: +2,97% a R$ 11,43

  • BAIXAS IBOVESPA

COGN3: -11,74% a R$ 2,48
YDUQ3: −9,76% a R$ 19,14
BHIA3: −7,62% a R$ 7,40
LREN3: −6,72% a R$ 15,40
ALPA4: −6,56% a R$ 9,74

Confira o ranking completo de todos os papéis negociados na B3.

  1. 💥 Confira os destaques corporativos de hoje 💥

    Aura Minerals (AURA33)

    A Aura Minerals aprovou a criação de um programa de recompra de ações no Canadá (NCIB) para as suas ações ordinárias emitidas e em circulação listadas na TSX (Toronto Stock Exchange, maior bolsa do Canadá). Saiba mais…

    Banco do Brasil (BBAS3)

    O Banco do Brasil foi reconhecido na Organização das Nações Unidas (ONU) por suas iniciativas de inclusão étnico-racial e de equidade de gênero. A presidente do conglomerado, Tarciana Medeiros, que tem capitaneado uma reviravolta na instituição nessas frentes, também foi agraciada durante premiação realizada em paralelo à 68ª Comissão Sobre a Situação da Mulher (CSW68), que acontece em Nova York, nos Estados Unidos. Saiba mais…

    Bemobi (BMOB3)

    O lucro líquido ajustado, excluindo o efeito de swap, foi de R$ 47 milhões no 4º trimestre de 2023, aumento de 81,2% em relação ao ano anterior , devido a taxas de impostos mais baixas do que o esperado.

    Cyrela (CYRE3)

    A Cyrela reportou lucro líquido de R$ 248 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), o que representa uma alta de 19% na comparação com o mesmo intervalo de 2022, informou a construtora. Saiba mais…

    Embraer (EMBR3)

    A Embraer aprovou a celebração, pela Companhia, com o Banco Santander, de contratos de troca de resultados de fluxos financeiros futuros com liquidação financeira (Equity Swap), tendo por referência ações de emissão da Companhia. Saiba mais…

    Eneva (ENEV3)

    A Eneva registrou prejuízo líquido de R$ 290,6 milhões no quarto trimestre de 2023, 49,9% maior que o prejuízo registrado no mesmo período de 2022, de R$ 193,9 milhões. Saiba mais…

    A Eneva anunciou aumento do capital social dentro do limite do capital autorizado. Saiba mais…

    Eztec (EZTC3)

    A Eztec apresentou lucro líquido de R$ 82,798 milhões no quarto trimestre de 2023, um salto de 163% ante o mesmo intervalo de 2022, quando obteve lucro de R$ 31,511 milhões. Saiba mais…

    Gerdau (GGBR3/GGBR4)

    O Conselho de Administração da Gerdau aprovou, por unanimidade, a proposta de aumento de capital social da companhia no valor de R$ 4.057.881.800, mediante a capitalização de parte do saldo da conta de reserva de lucros para investimentos e capital de giro, existente em 31/12/2023. Saiba mais…

    A Gerdau concluiu a venda da participação societária na joint-venture Diaco S.A., que correspondia a 49,85%. Saiba mais…

    Grupo Panvel (PNVL3/PNVL4)

    O Grupo Panvel reportou lucro líquido ajustado de R$ 33 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), montante 36% superior ao reportado no mesmo intervalo de 2022, informou a companhia. Saiba mais…

    Hidrovias do Brasil (HBSA3) e Rumo (RAIL3)

    A Hidrovias do Brasil, de soluções logísticas integradas, e a Rumo, maior concessionária de ferrovias do Brasil, deram início a uma parceria com o objetivo de integrar a margem direita do Porto de Santos a ferrovias, para otimização do frete e eficiência logística no transporte de fertilizantes. A expectativa é de um volume anual de 500 mil toneladas de adubo, com uma média de 20 vagões por dia. Saiba mais…

    JSL (JSLG3)

    A Fitch Ratings atribuiu Rating Nacional de Longo Prazo ‘AAA(bra)’ à proposta de décima oitava emissão de debêntures quirografárias da JSL, que totalizará R$ 200 milhões e terá vencimento final em 2029.

    Lojas Renner (LREN3)

    A Lojas Renner teve um lucro líquido de R$ 526,9 milhões no quarto trimestre de 2023, número 9,4% maior do que os R$ 481,8 milhões registrados no mesmo período do ano imediatamente anterior. Saiba mais…

    Junto do resultado do quarto trimestre de 2024, a Lojas Renner anunciou a saída de José Galló da presidência do Conselho. O executivo, que foi CEO e presidente da varejista de moda, encerra, com isso, um ciclo de 32 anos na varejista de moda. Saiba mais…

    Marfrig (MRFG3)

    A Marfrig iniciou o rastreamento de contêineres em suas unidades no Brasil, informou a empresa em nota. A medida busca controlar o carregamento, o ponto de embarque e o destino final de cargas para garantir a segurança do transporte das mercadorias, além de agilizar a troca de informações sobre o status da entrega. Saiba mais…

    Mitre (MTRE3)

    A Mitre reportou lucro líquido de R$ 13,6 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), montante 41,4% superior ao reportado no mesmo intervalo de 2022, informou a companhia. Saiba mais…

    MRV (MRVE3)

    A MRV anunciou uma revisão nas suas projeções para 2024 e 2025 no braço de incorporação, com atuação concentrada no Minha Casa Minha Vida (MCMV). Em linhas gerais, o grupo ampliou o volume previsto de receita, mas cortou o teto das margens e do lucro líquido. Saiba mais…

    Oi (OIBR3)

    A Oi, em recuperação judicial, informou que, na última quinta-feira, o Juízo da 7ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro deferiu a prorrogação do stay period (suspensão de todas as ações e execuções contra o devedor) até o dia 25 de março de 2024.

    Petz (PETZ3)

    Maior empresa do segmento de varejo e serviços voltados a animais de estimação, a Petz está em negociações avançadas para uma fusão com a Petlove. As conversas, relatou uma fonte ao IM Business, acontecem há pelo menos cinco meses. A Tarpon Investimentos, que hoje investe na Petlove e no passado foi investidora na Petz, seria um elo entre as companhias. Saiba mais…

    Plano&Plano (PLPL3)

    A incorporadora Plano&Plano, voltada ao segmento de baixa renda, viu seu lucro líquido saltar 256,7% no segundo trimestre de 2023 na base de comparação anual, indo para R$ 69 milhões. Saiba mais…

    Priner (PRNR3)

    A Priner divulgou seus resultados financeiros do quarto trimestre de 2023 com lucro líquido R$ 4,9 milhões, apresentando uma variação negativa de 60% em relação ao mesmo período do ano anterior. Saiba mais…

    Qualicorp (QUAL3)

    A Qualicorp autorizou a realização da 7ª emissão, em série única, de 200.000 debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, com garantia adicional fidejussória, com valor nominal unitário de R$ 1.000,00, no valor total de R$ 200.000.000,00, com prazo de vencimento de 4 anos contados da data de emissão. Saiba mais…

    Sequoia Logística (SEQL3)

    A Sequoia informou a realização do aumento de capital social de R$ 160.666,00, mediante a emissão de 146.060 ações ordinárias ao preço de R$ 1,10 cada. Saiba mais…

    Tenda (TEND3)

    A construtora Tenda conseguiu reduzir o seu prejuízo em 87,3% no quarto trimestre do ano passado. O prejuízo líquido no período foi de R$ 19,6 milhões, ante R$ 155,1 milhões em relação ao mesmo trimestre de 2022. Saiba mais…

    Trisul (TRIS3)

    A Trisul divulgou lucro líquido registrado foi de R$ 44,446 milhões, representando um aumento de 63,0% em relação ao mesmo período de 2022. Saiba mais…

    Unicasa (UCSA3)

    A empresa Unicasa apresentou um lucro líquido de R$ 6,509 milhões no 4T23, representando uma variação positiva de 31,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. Saiba mais…

    Unipar (UNIP3/UNIP5/UNIP6)

    A Unipar reportou lucro líquido de R$ 161,2 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), montante 15,5% inferior ao reportado no mesmo intervalo de 2022, informou a companhia. Saiba mais…

    Vale (VALE3)

    O Novo presidente da Vale, que vai substituir Eduardo Bartolomeo, poderá ser ligado a acionistas representativos da mineradora, informa o Broadcast. Saiba mais…

    Vittia (VITT3)

    A brasileira Vittia Fertilizantes viu seu lucro líquido cair 16,2% no quarto trimestre de 2023, para R$ 41,3 milhões. Na mesma tendência, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) encolheu 16,7% e fechou o período em R$ 49,9 milhões. Saiba mais…

    Yduqs (YDUQ3)

    A Yduqs, companhia do setor de educação, registrou um prejuízo líquido de R$ 120,3 milhões no quarto trimestre de 2023, número 42,7% maior do que o prejuízo de R$ 84,3 milhões no mesmo período do ano imediatamente anterior. Saiba mais…

    (Com informações da Forbes Money, TC Mover e Momento B3)

Deixe um comentário