ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for pro Negocie como um profissional: Aproveite discussões em tempo real e ideias que movimentam o mercado para superar a concorrência.

Destaques: Tesla sobe 12% em promessa de veículos mais baratos em 2025, Coca-Cola e Microsoft fecham acordo bilionário, e mais

LinkedIn

Destaques corporativos de Wall Street para hoje

Tesla (TSLA, TSLA34) – A Tesla anunciou na terça-feira a demissão de 6.020 funcionários no Texas e na Califórnia, além de cortar cerca de 400 empregos, ou cerca de 3% da força de trabalho, em sua gigafábrica alemã perto de Berlim, sem demissões forçadas. Os cortes visam reduzir custos, combater a desaceleração da demanda e a queda nas margens. Em outras notícias, a Tesla definiu o preço do seu novo Model 3 de alta performance em 335.900 yuans, equivalente a US$ 46.364,29, na China. As entregas do veículo estão programadas para começar no terceiro trimestre deste ano. Tesla também lançou uma variante de desempenho de seu sedã compacto Model 3 nos Estados Unidos por US$ 52.990. Além disso, Elon Musk anunciou que o robô humanóide Optimus poderá ser comercializado até o final do próximo ano, visando suprir demandas de mão de obra em setores como logística e varejo. Musk destacou que a Tesla está bem posicionada para essa empreitada.

Coca-Cola (KO, COCA34) – A Coca-Cola assinou um novo contrato de cinco anos, no valor de US$ 1,1 bilhão, com a Microsoft (NASDAQ:MSFT), utilizando seus serviços de computação em nuvem e inteligência artificial, incluindo o Azure OpenAI. O acordo visa aprimorar a produtividade da Coca-Cola com ferramentas como o Copilot da Microsoft.

Apple (AAPL, AAPL34) – A Apple anunciou um evento em 7 de maio, sem detalhes revelados, mas rumores sugerem o lançamento dos aguardados iPad Pro e iPad Air renovados. A empresa busca revitalizar vendas em queda no mercado de tablets em meio a incertezas econômicas.

Alphabet (GOOGL, GOGL34) – A Alphabet está injetando 600 milhões de euros (640,62 milhões de dólares) em um novo centro de dados em Groningen, na Holanda, criando 125 empregos. Desde 2014, a Alphabet investiu mais de 3,8 bilhões de euros em infraestrutura digital nos Países Baixos, enfatizando sustentabilidade e impacto comunitário positivo. Além disso, o Google postergou para 2025 sua decisão de eliminar gradualmente os cookies no navegador Chrome, em meio a preocupações e revisões regulatórias. O plano, que visa transformar a publicidade digital, está sujeito a acordos com reguladores. Isso ocorre enquanto a empresa enfrenta escrutínio antitruste e busca substituir os cookies por sua iniciativa Privacy Sandbox. Adicionalmente, a Mobvoi, startup chinesa de IA apoiada pela Alphabet, encerrou seu primeiro dia de negociações em queda em Hong Kong, com as ações caindo 3,2%, abaixo do preço da oferta inicial, arrecadando US$ 41 milhões, abaixo da meta de US$ 200 a 300 milhões do ano passado.

IBM (IBM, IBMB34) – A IBM está em negociações avançadas para adquirir a provedora de software em nuvem HashiCorp (HCP), impulsionando suas ofertas na área. A IBM, sob o CEO Arvind Krishna, tem buscado aquisições para fortalecer sua presença na nuvem.

Oracle (ORCL, ORCL34) – Larry Ellison, presidente da Oracle, anunciou na terça-feira que a empresa planeja transferir sua sede corporativa para Nashville, destacando a cidade como um centro de saúde. O novo campus, projetado por Norman Foster, incluirá uma clínica comunitária e uma sala de concertos, buscando integrar-se à comunidade local.

Super Micro Computer (SMCI) – As ações da Super Micro Computer avançaram 3,3% no pré-mercado após os analistas do KeyBanc, liderados por Tom Blakey, iniciarem a cobertura com uma classificação de Sector Weight. Eles destacaram a posição da empresa como fornecedora líder de soluções completas de pilha de TI em escala de rack, beneficiando-se das tendências de crescimento da IA.

Trump Media & Technology Group (DJT) – Na terça-feira, Donald Trump garantiu um bônus em ações no valor de 1,3 bilhão de dólares da empresa que opera seu aplicativo de mídia social Truth Social. Este prêmio, derivado do acordo SPAC, elevará sua participação na Trump Media & Technology Group (TMTG) para 4,1 bilhões de dólares.

Rubrik – A startup de nuvem e segurança de dados Rubrik, apoiada pela Microsoft (MSFT, MSFT34), recebeu cerca de 20 vezes mais pedidos do que o número de ações disponíveis em sua oferta pública inicial planejada. A empresa pretende levantar até US$ 713 milhões.

Starbucks (SBUX, SBUB34) – Juízes da Suprema Corte dos EUA sinalizaram apoio à Starbucks contra uma ordem judicial para recontratar sete funcionários demitidos em Memphis enquanto buscavam sindicalização. O caso, centrado na Lei Nacional de Relações Trabalhistas, pode impactar futuras liminares sobre práticas laborais contestadas. A decisão final é prevista para junho.

Walmart (WMT, WALM34) – A startup fintech One, de propriedade majoritária da Walmart, começou a oferecer opções de empréstimos “compre agora, pague depois” (BNPL) para itens caros em algumas lojas do varejista nos EUA, juntando-se à Affirm (AFRM) como escolha para os clientes. A iniciativa busca expandir as ofertas financeiras para os clientes da gigante do varejo.

JPMorgan Chase (JPM, JPMC34) – O CEO do JPMorgan Chase, Jamie Dimon, expressou confiança na robusta economia dos EUA, destacando um emprego forte e finanças de consumo saudáveis. Dimon alertou sobre a persistência da inflação e defendeu uma abordagem pragmática nas políticas públicas. Além disso, possíveis planos futuros de participação governamental foram mencionados. Em outras notícias, um tribunal russo ordenou a apreensão de fundos das contas bancárias do JPMorgan Chase na Rússia, como parte de uma ação movida pelo banco estatal VTB para recuperar US$ 439,5 milhões bloqueados no exterior. O JPMorgan processou o VTB em Nova York na semana passada.

UBS Group AG (UBS, UBSG34) – Executivos da UBS expressaram preocupação com os requisitos de capital mais rígidos propostos pelo governo suíço, alertando que poderiam demandar entre 15 a 25 bilhões de dólares adicionais. Apesar disso, eles reiteraram o compromisso em retornar o excesso de capital aos acionistas via dividendos e recompra de ações.

Fisker (FSR, F2SK34) – A Fisker enfrenta a possibilidade iminente de solicitar proteção contra falência em 30 dias, caso não obtenha alívio adequado dos credores para cumprir as obrigações de dívida. A startup de veículos elétricos está em apuros financeiros após falhas em negociações de investimento e queda nas ações.

Polestar Automotive (PSNY) – A Polestar Automotive, fabricante sueca de veículos elétricos, está planejando transferir a produção de carros destinados à Europa para sua fábrica nos EUA, devido à crescente tensão geopolítica. A empresa explora exportar o Polestar 3 dos EUA para a União Europeia diante das investigações sobre tarifas. Além disso, a Polestar lançou seu próprio smartphone para o mercado chinês em colaboração com a fabricante de smartphones Xingji Meizu Group. O telefone, integrado com os EVs da Polestar, vem com até 1 terabyte de armazenamento e uma câmera de 50 megapixels, partindo de US$ 1.019.

Boeing (BA, BOEI34) – A Administração Federal de Aviação (FAA) investiga alegações de retaliação da Boeing contra dois engenheiros que solicitaram uma revisão da engenharia nos jatos 777 e 787. O sindicato SPEEA denunciou práticas trabalhistas injustas. A Boeing nega retaliação, enquanto o sindicato busca acesso a um relatório crucial.

Spirit AeroSystems (SPR), Boeing (BA, BOEI34) – A Spirit AeroSystems concordou em adiantar pagamentos de US$ 425 milhões para a Boeing, visando resolver questões como estoques elevados e fluxo de caixa reduzido, após restrições da FAA à produção do 737 MAX. O acordo visa sustentar a produção contratual da Boeing e estabilizar as operações.

Ryanair Holdings (RYAAY, R1YA34) – O CEO da Ryanair Holdings, Michael O’Leary, expressou otimismo em relação à nova liderança da Boeing Co. e à possibilidade de aumento na produção, visando a entrega de 40 jatos à Ryanair antes da alta temporada de viagens. Ele enfatizou a importância da continuidade e da execução precisa.

JetBlue Airways (JBLU) – A JetBlue Airways alertou na terça-feira que não prevê mais alcançar o ponto de equilíbrio em sua margem operacional ajustada para este ano, com receitas deprimidas devido ao excesso de capacidade na América Latina. Suas ações caíram cerca de 17%, para US$ 6,25. A empresa espera que a receita do segundo trimestre diminua até 10,5% em relação ao ano anterior. A JetBlue também está buscando indenização da Pratt & Whitney devido a problemas em motores, que deverão manter uma média de 11 aeronaves fora de serviço ao longo do ano.

L3Harris Technologies (LHX, L1HX34) – A L3Harris Technologies dos EUA cortará 5% de sua força de trabalho, cerca de 2.500 funcionários, como parte de medidas de economia. Os cortes, não focados na recente aquisição da Aerojet Rocketdyne, visam a eficiência e economia de custos, alinhados ao plano plurianual LHX NeXt de US$ 1 bilhão.

Palantir Technologies (PLTR, P2LT34) – As ações da Palantir estão subindo 2% antes da abertura do mercado, depois de registrar um aumento de mais de 5% nos últimos dois dias, recuperando-se após seis dias de perdas consecutivas.

Williams-Sonoma (WSM) – A Williams-Sonoma concordou em pagar uma multa civil de US$ 3,18 milhões para encerrar acusações da FTC de alegações falsas de “fabricado nos EUA” para alguns produtos. Uma ordem revisada, que requer aprovação judicial, aumenta a multa original de US$ 1 milhão.

Bunge (BG) – O Departamento de Concorrência do Canadá expressou sérias preocupações sobre a proposta de aquisição da Bunge pela Viterra, apoiada pela Glencore (GLEN, GLEN34), lançando um obstáculo à fusão agrícola avaliada em US$ 34 bilhões. O acordo enfrenta escrutínio sobre efeitos anticompetitivos potenciais, aguardando decisão do governo.

Pfizer (PFE, PFIZ34), BioNTech (BNTX, B1NT34), Moderna (MRNA, M1RN34) – A Pfizer e BioNTech entraram com uma petição em Londres para anular as patentes da Moderna sobre tecnologia-chave para vacinas de Covid-19, em meio a uma batalha legal global. A Moderna reivindica violação de suas patentes pela Pfizer e BioNTech, enquanto estas argumentam melhorias tecnológicas. As vendas bilionárias de ambas as vacinas destacam a importância do caso.

Lumen Technologies (LUMN, L1MN34) – A Lumen Technologies planeja cortar menos de 7% de sua equipe para reduzir despesas em meio a desafios de crescimento e caixa. Estima-se que os custos relacionados aos cortes de pessoal alcancem de US$ 90 milhões a US$ 100 milhões, com expectativa de conclusão até o final do segundo trimestre. Os analistas expressaram ceticismo sobre a capacidade da empresa de se recuperar, apesar das melhorias nas tendências de negócios.

Earnings

Tesla (TSLA, TSLA34) – As ações da Tesla subiram 11,96% no pré-mercado de quarta-feira, mesmo que seus lucros no primeiro trimestre tenham sido abaixo das previsões dos analistas. A Tesla teve um lucro ajustado por ação de 45 centavos com receitas de US$ 21,3 bilhões, enquanto os analistas previam um lucro por ação de 51 centavos e receitas de US$ 22,15 bilhões. Além disso, a Tesla revelou planos de lançar “novos modelos” no início de 2025, utilizando suas plataformas e linhas de produção existentes, enquanto desiste de produzir um modelo totalmente novo de US$ 25.000. Elon Musk mencionou um “produto robotáxi” em desenvolvimento, mas sem oferecer um cronograma para seu lançamento.

Texas Instruments (TXN, TEXA34) – As ações da Texas Instruments aumentaram em 7,3% no pré-mercado devido aos lucros robustos no primeiro trimestre. A Texas Instruments anunciou um lucro por ação de US$ 1,20 e receita de US$ 3,66 bilhões, superando as previsões dos analistas, que eram de US$ 1,07 por ação e US$ 3,61 bilhões em receita, conforme indicado pela LSEG. Além disso, a empresa divulgou projeções para o desempenho do trimestre atual em linha com as expectativas.

Seagate Technology (STX, S1TX34) – As ações da Seagate subiram 1,7% no pré-mercado depois de divulgar projeções positivas para o próximo trimestre. No último trimestre, a Seagate reportou um lucro ajustado de 33 centavos por ação, ligeiramente acima das expectativas de 29 centavos, enquanto a receita caiu 11% para US$ 1,66 bilhão, abaixo das estimativas. Para o próximo trimestre, a empresa prevê um lucro ajustado por ação de 70 centavos, superando as expectativas dos analistas, e uma receita em torno de US$ 1,85 bilhão, alinhada com as previsões de mercado.

Visa (V, VISA34) – As ações da Visa subiram 2,6% no pré-mercado após a divulgação de lucros que superaram as expectativas. A Visa anunciou um lucro por ação de US$ 2,51, excluindo itens extraordinários, e uma receita de US$ 8,78 bilhões. Os analistas consultados pela LSEG previam um lucro por ação de US$ 2,44 e uma receita de US$ 8,63 bilhões.

TE Connectivity (TEL, T1EL34) – Ações da TE Connectivity caíram 0,9% no pré-mercado após os resultados do segundo trimestre revelarem lucro por ação de US$ 1,86, um aumento de aproximadamente 13% ano após ano, com vendas de US$ 3,97 bilhões. Os pedidos atingiram US$ 4 bilhões, superando as vendas pela primeira vez em seis trimestres. A previsão para o terceiro trimestre é de lucro por ação de US$ 1,85, com vendas de US$ 4 bilhões, mas a valorização do dólar americano pode representar um obstáculo, com um impacto estimado de 15 centavos por ação devido às taxas de câmbio.

Baker Hughes (BKR, B1KR34) – As ações da Baker Hughes caíram 2,4% no pré-mercado, apesar da empresa superar as expectativas dos analistas no primeiro trimestre, impulsionada pela maior demanda internacional de perfuração. Sua receita total aumentou para US$ 2,79 bilhões no segmento internacional. O lucro ajustado foi de 43 centavos por ação, enquanto a receita total aumentou 12,3% para US$ 6,42 bilhões. A estimativa média dos analistas eram lucro ajustado por ação de 40 centavos e receita de US$ 6,37 bilhões.

Enphase Energy (ENPH, E2NP34) – As ações da Enphase Energy caíram 8,3% no pré-mercado, após a divulgação do último relatório de lucros, juntamente com as projeções de receita para o trimestre atual, que decepcionaram Wall Street. A Enphase reportou um lucro de 35 centavos por ação com uma receita de US$ 263 milhões no primeiro trimestre, enquanto os analistas esperavam, respectivamente, 40 centavos por ação e uma receita de US$ 280 milhões, de acordo com a LSEG. A empresa indicou que espera gerar receitas no segundo trimestre entre US$ 290 milhões e US$ 330 milhões, abaixo da previsão consensual de US$ 349 milhões.

SunPower (SPWR) – A SunPower identificou distorções em seus resultados para o ano fiscal de 2022, prevendo uma redução de receita entre US$ 15 milhões a US$ 25 milhões devido a custos diferidos capitalizados e classificações incorretas de despesas. A revisão dos números ainda está em andamento.

Mattel (MAT) – As ações da Mattel subiram 2,8% no pré-mercado após ela anunciar um prejuízo por ação menor do que o previsto. A Mattel reportou um prejuízo de 5 centavos por ação no primeiro trimestre, enquanto os analistas esperavam 12 centavos, de acordo com a LSEG. As receitas da Mattel foram de US$ 810 milhões no trimestre, abaixo da estimativa de Wall Street de US$ 832 milhões.

Evotec (EVO) – As ações da Evotec, empresa de biotecnologia alemã, despencaram -36,34% no pré-mercado após revelar uma perspectiva incerta, juntamente com a nomeação de um novo CEO. Apesar dos resultados financeiros de 2023 estarem alinhados com as estimativas, a queda do EBITDA e o aumento das receitas não tranquilizaram os investidores. O EBITDA caiu 35% para 66 milhões de euros, e as receitas subiram 4% para 781 milhões de euros.

Philip Morris International (PM, PHMO34) – A Philip Morris superou as expectativas de lucro trimestral, impulsionadas pela força da estratégia de crescimento livre de fumo. O lucro ajustado de US$ 1,50 por ação, acima dos US$ 1,41 esperados. A receita trimestral de US$ 8,8 bilhões também superou as estimativas de US$ 8,44 bilhões. A receita orgânica do negócio antifumo aumentou quase 25%, impulsionando um aumento orgânico de 37,5% no lucro bruto. A margem do lucro operacional ajustado cresceu para 44,5%, ante 42% um ano atrás. Para o segundo trimestre, a empresa espera um lucro ajustado por ação entre US$ 1,50 e US$ 1,55, abaixo dos US$ 1,62 previstos pelos analistas. Para o ano de 2024, a PM agora espera um lucro ajustado por ação entre US$ 6,19 e US$ 6,31, inferior à estimativa anterior de US$ 6,32 a US$ 6,44.

Principais assuntos do dia

Os índices futuros dos EUA mostram resultados variados nas negociações pré-mercado desta quarta-feira, à medida que os investidores avaliam os mais recentes resultados financeiros divulgados.

Às 07h31 (horário de Brasília), os futuros do Dow Jones (DOWI:DJI) caíram 8 pontos, ou 0,02%. Os futuros do S&P 500 avançaram 0,14%, e os futuros do Nasdaq-100 ganharam 0,56%. A taxa de retorno dos títulos do Tesouro de 10 anos situava-se em 4,638%.

No mercado de commodities, o petróleo bruto West Texas Intermediate para junho caiu 0,44%, a US$ 82,99 por barril. O petróleo tipo Brent para junho caiu 0,36%, perto de US$ 88,10 por barril. O minério de ferro negociado na bolsa de Dalian subiu 3,08%, a US$ 122,55 tonelada métrica.

Na agenda econômica de quarta-feira, os investidores aguardam às 9h30 a publicação do Departamento do Comércio dos números dos pedidos de bens duráveis de março. Posteriormente, às 11h30, o Departamento de Energia (DoE) disponibilizará a posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana anterior.

Os mercados europeus estão apresentando desempenho positivo, impulsionados pelos avanços recentes tanto nos mercados asiáticos quanto em Wall Street.

Os mercados asiáticos encerraram a sessão desta quarta-feira predominantemente em alta, impulsionados pelo desempenho positivo de Wall Street, que registrou ganhos pelo segundo dia consecutivo na terça-feira. A alta nas bolsas de Nova York foi motivada por indicadores econômicos menos robustos nos Estados Unidos, especificamente os PMIs fracos, que alimentaram a expectativa de que o Federal Reserve possa acelerar os cortes nas taxas de juros. Essa perspectiva estimulou o apetite por risco entre os investidores. Os principais índices asiáticos refletiram essa tendência: a Bolsa de Xangai (Shanghai SE) avançou 0,76%, o Nikkei no Japão subiu expressivos 2,42%, o Hang Seng em Hong Kong cresceu 2,21% e o Kospi na Coreia do Sul aumentou 2,01%. Por outro lado, o ASX 200 na Austrália ficou praticamente estável, com uma leve queda de 0,01%.

As ações dos EUA fecharam em alta na terça-feira, impulsionadas pelo otimismo com lucros corporativos e a perspectiva das taxas de juros. O Dow Jones subiu 0,69%, o S&P 500 avançou 1,20% e o Nasdaq ganhou 1,59%. Investidores aguardavam ansiosamente os resultados trimestrais da Tesla (NASDAQ:TSLA) após o fechamento do mercado, que relatou ganhos de US$ 1,13 bilhão, ou US$ 0,45 centavos por ação. Outro destaque do dia foi a Globe Life (NYSE:GL), que liderou os ganhadores do S&P 500 com alta de 13,5%.

Na frente de resultados trimestrais, estão agendados para apresentar relatórios antes da abertura do mercado Boeing (BA, BOEI34), AT&T (T, ATTB34), Humana (HUM, H1UM34), Vertiv Holdings (VRT), General Dynamics (GD, GDBR34), Boston Scientific (BSX, B1SX34), Hilton (HLT, H1LT34), M/I Homes (MHO), Amphenol (APH, A1PH34), entre outros.

Após o fechamento, serão aguardados os números da Vale SA (VALE, VALE3), Meta Platforms (META, M1TA34), IBM (IBM, IBMB34), Ford Motor (F, FDMO34), Chipotle Mexican Grill (CMG, C1MG34), Servicenow (NOW, N1OW34), Lam Research (LRCX, L1RC34), Celestica Inc (CLS), Viking Therapeutics (VKTX), Align Technology (ALGN, A1LG34), e mais.

Fechamento EUA de terça-feira

Moeda

Hoje, 1 dólar vale R$ 5,17– Faça a conversão para qualquer moeda!

Deixe um comentário