ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for smarter Negocie de forma mais inteligente, não mais difícil: Libere seu potencial com nosso conjunto de ferramentas e discussões ao vivo.

Ibovespa cai 1,14%, influenciado pelo pessimismo em Wall Street e por maior aversão ao risco predominando nos mercado globais

LinkedIn

O Ibovespa fechou em forte queda nesta sexta-feira (12), influenciado pelo pessimismo em Wall Street e por uma aversão global ao risco, enquanto as ações da Prio foram destaque positivo na sessão.

O Índice Bovespa (Ibovespa), que reflete o desempenho médio das cotações das principais ações de empresas negociadas na BM&FBOVESPA, é formado pelas ações com maior volume negociado nos últimos meses.

O índice de referência do mercado brasileiro caiu 1,14%, encerrando o dia aos 125.946,09 pontos, com um declínio acumulado de 0,71% na semana, segundo dados preliminares. Durante o dia, atingiu sua máxima em 127.639,90 pontos e sua mínima em 125.635,13 pontos. O volume financeiro totalizou R$ 21,3 bilhões antes dos ajustes finais.

Os investidores continuaram a repercutir os dados divulgados na quarta-feira, que mostraram que o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos EUA subiu 0,4% em março, acima do esperado, desencadeando um forte movimento de reprecificação em relação aos cortes de juros.

O dólar fechou em alta em relação ao real nesta sexta-feira, registrando uma forte valorização semanal, em linha com o exterior e atingindo o maior patamar em cerca de seis meses. A moeda norte-americana à vista avançou 0,60%, atingindo R$ 5,12 na venda. Embora tenha recuado de seu pico do dia, quando subiu mais de 1%, para R$ 5,14, o dólar ainda fechou em seu maior patamar desde 9 de outubro de 2023 (R$ 5,13).

Nos Estados Unidos, os principais índices acionários de Wall Street também apresentaram queda nesta sexta-feira, com alguns grandes bancos em baixa após divulgarem resultados trimestrais sombrios, além da maioria das ações de megacaps e dos fabricantes de chips recuando. O Dow Jones registrou uma queda de 1,24%, para 37.983,24 pontos. O S&P 500 teve uma queda de 1,46%, para 5.123,41 pontos, enquanto o Nasdaq Composite recuou 1,62%, para 16.175,09 pontos.

Os principais índices acionários de Wall Street encerraram em queda, com investidores liquidando parte de suas posições no mercado acionário já que a inflação e as preocupações geopolíticas mais uma vez afetaram o sentimento dos mercados. Agentes também avaliaram uma série de resultados trimestrais de grandes bancos.

Os índices Dow Jones, S&P500 e o Nasdaq 100 recuaram 1,24%, 1,46% e 1,62%, respectivamente. Desde segunda-feira os índices acumularam perdas de 2,37%, 1,56% e 0,45%, na mesma ordem.

Ao fim do dia, os rendimentos das Treasuries de dez anos recuavam 5,8 pontos-base, a 4,518%, e as de dois anos caíam 6,9 pbs, a 4,892%.

Os operadores reagiram à divulgação dos dados de expectativas dos consumidores dos EUA para economia e inflação da Universidade de Michigan. O índice de sentimento do consumidor para abril ficou em 77,9, abaixo das expectativas de 79,9, já as expectativas de inflação para o próximo ano e a longo prazo também aumentaram.

No cenário corporativo, investidores reagiram aos dados de balanços corporativos referentes ao primeiro trimestre de 2024 de grandes instituições financeiras, como JP Morgan, Citigroup, Wells Fargo e BlackRock. Todos os quatro superaram o consenso dos analistas, com lucro superior ao esperado.

O destaque ficou com as ações do JPMorgan negociadas na NYSE, que despencaram mais de 5%, após o banco sinalizar que a receita líquida proveniente de juros, uma medida importante do que obtém por meio de atividades de crédito, pode ficar um pouco aquém do que os analistas projetam para 2024. O CEO, Jamie Dimon, também alertou sobre as persistentes pressões inflacionárias que pesam sobre a economia.

Data Variação Pontuação Volume Financeiro
01/04/2024 -0,87%  126.990,45 R$ 19,8 bilhões
02/04/2024 0,44% 127.548,52 R$ 21,2 bilhões
03/04/2024 -0,18%  127.318,39 R$ 21,9 bilhões
04/04/2024 0,09% 127.427,53  R$ 31,1 bilhões
05/04/2024 -0,50%  126.795,41  R$ 20,7 bilhões
06/04/2024 1,63%  128.857,16  R$ 19,2 bilhões
 09/04/2024 0,80%  129.890,37 R$ 20 bilhões
10/04/2024 -1,41% 128.053,74 R$ 23,2 bilhões
11/04/2024 -0,51% 127.396,35 R$ 19,4 bilhões
12/04/2024 -1,14%  125.946,09 R$ 23,2 bilhões

DESTAQUES DO IBOVESPA – (pregão à vista)

  • ALTAS IBOVESPA

PRIO3: +2,13% a R$ 50,86
CIEL3: +1,30% a R$ 5,47
ELET3: +0,46% a R$ 39,02
ELET6: +0,32% a R$ 43,78
CSNA3: +0,21% a R$ 14,35

  • BAIXAS IBOVESPA

AZUL4: -10,07% a R$ 11,16
MRVE3: −6,19% a R$ 6,67
EZTC3: −5,76% a R$ 14,40
SMTO3: −5,54% a R$ 29,01
CVCB3: −5,08% a R$ 2,24

Confira o ranking completo de todos os papéis negociados na B3.

  1. 💥 Confira os destaques corporativos de hoje 💥

    Aeris (AERI3)

    Os acionistas da Aeris aprovaram a proposta de grupamento das ações, na proporção de 20 para 1. Saiba mais…

    Braskem (BRKM5)

    A Braskem arquivou nesta sexta-feira o formulário 20-F junto à Securities and Exchange Comission (SEC), relativo ao exercício de 2023, no qual a petroquímica reconhece riscos sobre possíveis aumentos de custos relacionados à compensação em relação ao afundamento de solo ocorrido em cinco bairros de Maceió (AL). Saiba mais…

    CSN (CSNA3)

    O Conselho de Administração da CSN aprovou sua 15ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, em até três séries, no valor total de R$ 800 milhões. Saiba mais…

    Direcional (DIRR3)

    A Direcional informou que suas vendas líquidas totalizaram R$ 4,5 bilhões (R$ 3,5 bilhões % Companhia) no 1º trimestre de 2024 (1T24), um crescimento de 41% sobre a mesma etapa do ano passado. Saiba mais…

    Embraer (EMBR3)

    A Embraer informou que a Azorra entregou a primeira de nove aeronaves Embraer E190-E2 para a Scoot, subsidiária low-cost da Singapore Airlines (SIA). Saiba mais…

    Even (EVEN3)

    A Even divulgou que as vendas líquidas de estoque somaram R$ 342 milhões (% Even) no 1º trimestre de 2024 (1T24), crescimento de 38% em relação ao 1T23. Saiba mais…

    JBS (JBSS3)

    A JBS vai investir R$ 150 milhões com o objetivo de dobrar a capacidade de produção de sua unidade Campo Grande II, localizada na capital de Mato Grosso do Sul. Saiba mais…

    JHSF (JHSF3)

    A JHSF Participações informou que foi ajuizada uma ação civil pública pelo Ministério Público de São Paulo, que questiona o fracionamento dos estudos dos impactos ambientais da companhia em Porto Feliz – SP. Saiba mais…

    Light (LIGT3)

    A Light assinou um acordo preliminar no âmbito de seu processo de recuperação judicial com gestores de fundos titulares de cerca de R$ 4,9 bilhões em debêntures emitidas pela companhia. Saiba mais…

    Melnick (MELK3)

    A Melnick registrou vendas líquidas de R$ 372 milhões (% Melnick), um crescimento de 22% das vendas líquidas em relação ao mesmo período do ano anterior, sendo o melhor trimestre de vendas da história da companhia. Saiba mais…

    Mitre (MTRE3)

    As vendas brutas da Mitre no 1T24 atingiram o patamar de R$ 285,1 milhões, resultando em vendas líquidas de R$ 246,8 milhões, um incremento de 1,8% ante o 1T23. Saiba mais…

    Multiplan (MULT3)

    A administradora de shoppings Multiplan anunciou a venda de um terreno de com 23.834 m² próximo ao RibeirãoShopping, no valor de R$ 48,4 milhões, em Ribeirão Preto (SP). Saiba mais…

    Petrobras (PETR3/PETR4)

    Um juiz federal de São Paulo suspendeu do cargo o presidente do Conselho de Administração da Petrobras, Pietro Sampaio Mendes, por conflito de interesse, segundo decisão desta quinta-feira (11). Saiba mais…

    O preço do barril de petróleo do tipo Brent já subiu, desde fevereiro até o fim dessa quinta-feira (11), quase 17%, sendo negociado, atualmente, a cerca de US$ 90. No entanto, as ações da Petrobras, principal petroleira do Brasil, não acompanham esse avanço do preço da commodity e os acionistas (como o próprio governo) ficam sem se beneficiar destes ganhos. Saiba mais…

    A Unigel defendeu o contrato firmado com a Petrobras e negou a existência de “quaisquer irregularidades” no contrato de prestação de serviços de industrialização das fábricas de fertilizantes nitrogenados (Fafens) da Bahia e Sergipe. O posicionamento foi feito em nota na quarta-feira, 10, dois meses após o Tribunal de Contas da União (TCU) pedir a suspensão da parceria entre as duas empresas por suspeitas de irregularidades, falhas, além do caráter antieconômico do acordo que poderiam acarretar R$ 487,1 milhões em perdas para a Petrobras no prazo de oito meses. Saiba mais…

    As ações da Petrobras operam mistas, perto da estabilidade, nesta tarde após declarações do Ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira. Saiba mais…

    Após ter dois nomes no Conselho de Administração da Petrobras suspensos por decisão judicial, auxiliares do presidente Lula contam votos e temem derrota na votação sobre dividendos extras para minoritários, que pleiteiam a distribuição integral, destaca o Estadão. Já ministros da ala política do governo defendem uma fatia menor. Saiba mais…

    O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, disse nesta sexta-feira, 12, estar confiante de que o presidente do Conselho de Administração da Petrobras, Pietro Mendes, continuará no posto, acreditando em uma reversão da decisão judicial de primeira instância que suspendeu o chairman da estatal na véspera. Saiba mais…

    Plano & Plano (PLPL3)

    As vendas líquidas (100%) da Plano & Plano contratadas ao longo do 1º trimestre de 2024 (1T24) somaram R$ 594 milhões, valor 8,6% superior ao apresentado no mesmo período do ano anterior. Saiba mais…

    PRIO (PRIO3)

    A Prio informou que a Câmara de Comércio Internacional (ICC) proferiu a decisão final no processo arbitral relacionado à concessão BM-C-30 (Wahoo). Saiba mais…

    Vale (VALE3)

    A Vale realizou as obras de correção da anomalia anteriormente identificada em um dos dispositivos de drenagem da barragem Forquilha III, localizada na mina de Fábrica, em Ouro Preto, MG. Saiba mais…

    Zamp (ZAMP3)

    A Zamp informou que as tratativas com a Starbucks Corporation envolvendo o direito de explorar a marca e desenvolver as operações da Starbucks no Brasil estão avançando, mas não há, até o momento, acordo ou contrato celebrado com a Starbucks Corporation, além do acordo de confidencialidade mencionado anteriormente. Saiba mais…

    (Com informações da TC Mover e Momento B3)

Deixe um comentário