ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for smarter Negocie de forma mais inteligente, não mais difícil: Libere seu potencial com nosso conjunto de ferramentas e discussões ao vivo.

Ibovespa sobe 1,63%, impactado pelo peso positivo da Vale na esteira do avanço do minério de ferro na China

LinkedIn

O Ibovespa encerrou em alta nesta segunda-feira, impactado pelo peso positivo da Vale sobre o índice, diante de sinais encorajadores de potenciais novos estímulos para reforçar o setor siderúrgico da China no pós-feriado do país asiático. Os futuros do minério para entrega em setembro avançaram ao maior patamar em duas semanas na madrugada.

O Índice Bovespa (Ibovespa), que reflete o desempenho médio das cotações das principais ações de empresas negociadas na BM&FBOVESPA, é formado pelas ações com maior volume negociado nos últimos meses.

O Ibovespa fechou com uma alta de 1,63%, aos 128.857 pontos. Vale ressaltar que o forte movimento de alta visto na sessão de hoje ocorreu em meio a um baixo volume de negócios. O Ibovespa registrou R$14,8 bilhões, abaixo da média de 50 pregões.

No campo político, as atenções seguem voltadas para o imbróglio envolvendo a Petrobras. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem reunião marcada, no início da noite, com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, após desmarcar encontro no Alvorada na noite de domingo. Há pouco, Haddad disse que o encontro com Lula será centrado na discussão da Reforma Tributária.

Operadores, no entanto, esperam que Lula discuta, com Haddad, a situação atual da Petrobras em relação ao eventual pagamento de dividendos extraordinários e troca do comando da petroleira. Haddad também afirmou, ao fim da tarde, que eventual troca de comando na companhia “não é da sua alçada”, e que é a própria companhia a responsável por decidir sobre o pagamento de dividendos extraordinários.

Outro ponto que mereceu atenção dos investidores foi a notícia de que o governo federal deve discutir redução da meta fiscal de 2025, que, conforme o arcabouço fiscal aprovado no ano passado, equivaleria a um superávit de 0,5% do PIB. Mas integrantes do governo estudam fixar um patamar positivo entre 0% a 0,25% do PIB. A decisão deverá ser tomada na reunião da Junta Orçamentária, que vai definir os parâmetros da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2025, a ser enviada ao Congresso na próxima semana

Ainda no cenário local, a semana começou com poucos catalisadores econômicos. Com isso, investidores calibraram suas expectativas em torno da divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) referente a março na quarta-feira, com o mercado esperando um aumento de 0,25% na comparação mensal. No mesmo dia, nos Estados Unidos, operadores acompanharão a divulgação da inflação ao consumidor, também referente a março.

Entre as ações que compõem o Ibovespa, as maiores contribuidoras do índice foram as ON da Vale, as PN da Petrobras e do Itaú, que avançaram 5,46%, 1,39% e 1,50%, na sequência.

Entre as maiores altas percentuais do índice, destaque para as ON da Dexco, as PNA da Usiminas e as ON da Magazine Luiza, que ganharam 5,85%, 5,85% e 5,46%, respectivamente.

Em uma sessão predominantemente positiva, poucos ativos encerram no campo negativo. Destaques para as PNA da Braskem, as ON do GPA e as ON da IRB Brasil, que recuaram 2,84%, 2,61% e 2,60%, respectivamente.

Os principais índices acionários de Nova York encerraram sem direção definida, em uma sessão sem grandes catalisadores, e com investidores avaliando a próxima divulgação de dados da inflação ao consumidor, na quarta-feira, bem como a ata da mais recente decisão de juros do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC), no mesmo dia.

Os índices Dow Jones e S&P500 recuaram 0,03% e 0,04%, respectivamente, enquanto o Nasdaq 100 subiu 0,03%. Ao fim do dia, os rendimentos das Treasuries de dez anos avançavam 4,4 pontos-base, a 4,422%, e as de dois anos subiam 6,1 pbs, a 4,793%.

Consenso Mover aponta para ligeira desaceleração da inflação em março, na base mensal, a 0,3%, ante alta de 0,4% em fevereiro. Já o núcleo da inflação – que exclui itens voláteis, como alimentos e energia, também deve registrar alta de 0,3%, ante avanço de 0,4% em fevereiro. Na base anual, entretanto, o índice cheio deve avançar a 3,4%, ante 3,2% em fevereiro.

No front corporativo, o Wells Fargo elevou nesta segunda a projeção terminal para o S&P500 ao fim de 2024, a 5.535 pontos – representando potencial de alta de 6,40% ante patamares atuais, e citou “otimismo” com a Inteligência Artificial e menor custo de crédito como balizadores da revisão altista.

Os papéis da Tesla avançaram 4,91% na Nasdaq, a US$172,99, após o CEO da companhia, Elon Musk, anunciar na última sexta-feira que a empresa apresentará seus robôs táxis em 8 de agosto.

Data Variação Pontuação Volume Financeiro
01/04/2024 -0,87%  126.990,45 R$ 19,8 bilhões
02/04/2024 0,44% 127.548,52 R$ 21,2 bilhões
03/04/2024 -0,18%  127.318,39 R$ 21,9 bilhões
04/04/2024 0,09% 127.427,53  R$ 31,1 bilhões
05/04/2024 -0,50%  126.795,41  R$ 20,7 bilhões
06/04/2024 1,63%  128.857,16  R$ 19,2 bilhões

DESTAQUES DO IBOVESPA – (pregão à vista)

  • ALTAS IBOVESPA

USIM5: +5,85% a R$ 10,50
VALE3: +5,46% a R$ 62,97
DXCO3: +5,14% a R$ 7,78
MGLU3: +4,68% a R$ 1,79
CMIN3: +4,50% a R$ 5,34

  • BAIXAS IBOVESPA

IRBR3: -4,77% a R$ 40,29
BRKM5: −3,37% a R$ 24,93
PCAR3: −2,97% a R$ 2,61
CVCB3: −2,56% a R$ 2,66
ALPA4: −1,57% a R$ 9,43

Confira o ranking completo de todos os papéis negociados na B3.

  1. 💥 Confira os destaques corporativos de hoje 💥

    B3 (B3SA3)

    A B3, bolsa do Brasil, realizou o primeiro registro de cotas de fundo por conta e ordem em atendimento da Resolução CVM 175. A operação foi realizada com a Guide Investimentos e contou com o registro de cerca de 30 mil cotas pertencentes a três fundos. Saiba mais…

    Banco do Brasil (BBAS3) 

    O Banco do Brasil informou que o Banco Central do Brasil (Bacen) autorizou a alteração estatutária deliberada pela assembleia geral extraordinária realizada em 2 de fevereiro, que decidiu pelo desdobramento (split) de 100% das ações BBAS3, atribuindo 1 nova ação para cada ação emitida, sem alterar o patrimônio do BB e a participação percentual dos acionistas. Saiba mais…

    O Banco do Brasil (BB) espera receber R$ 1,6 bilhão em propostas na 21ª edição da Tecnoshow Comigo, feira de tecnologia agrícola que terá início nesta segunda (8) e vai até sexta-feira (12), em Rio Verde (GO). O valor é 12,7% superior ao acolhido em 2023, informa o banco em comunicado. Saiba mais…

    Braskem (BRKM5)

    A Braskem divulgou nota da Novonor (ex-Odebrecht) informando que não há qualquer evolução material ou vinculante nas discussões que vem mantendo com as eventuais partes interessadas na aquisição de sua participação indireta na petroquímica, e que qualquer evolução material nas discussões será imediatamente comunicada. Saiba mais…

    Clear Sale (CLSA3) 

    A Clear Sale se manifestou sobre a matéria divulgada na sexta, 5, no Brazil Journal, sob o título “ClearSale em negociações finais com Serasa”. Saiba mais…

    Fleury (FLRY3)

    Voltando os olhares para as empresas através de um negócio B2B2C (business to business to client), o Fleury lançou a plataforma ‘Fleury Empresas’, que oferece soluções de saúde na forma de benefícios para os colaboradores de suas empresas clientes – em sua maioria, de pequeno e médio porte. Saiba mais…

    Gafisa (GFSA3)

    A Gafisa celebrou um contrato, por meio do qual se comprometeu a vender a totalidade das quotas de emissão da Lampes Empreendimentos Imobiliários Ltda. e da Atriax Empreendimentos Imobiliários Ltda. para a NM JUNIOR PARTICIPAÇÕES S.A., por um montante de R$ 170 milhões, a ser acrescido de 2% do VGV líquido de um dos empreendimentos. Saiba mais…

    Gol (GOLL4)

    A Gol registrou prejuízo líquido de R$ 160 milhões e receitas de R$ 1,38 bilhão no mês de fevereiro. Saiba mais…

    IRB Brasil (IRBR3)

    O IRB-Brasil Resseguros realizará o resgate antecipado da totalidade das debêntures da 3ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie com garantia real, em série única. Saiba mais…

    Petrobras (PETR3/PETR4)

    A Petrobras que o pagamento de dividendos extraordinários não foi pauta da reunião do conselho de administração realizada na sexta-feira, 5. Saiba mais…

    A Petrobras informou que a Justiça de São Paulo determinou a suspensão do conselheiro Sérgio Machado Rezende do exercício do cargo, segundo comunicado da estatal. Saiba mais…

    Os acionistas minoritários da Petrobras começam a semana com mais dúvidas do que certezas. Se alguém tinha a esperança de que algo fosse definido, sobre o futuro do comando da Petrobras, logo cedo, nesta segunda-feira, melhor esquecer. Saiba mais…

    A adesão da Petrobras à proposta de transação tributária no aluguel de plataformas pode pesar na permanência de Jean Paul Prates na presidência da estatal, informa matéria de bastidores do Valor Pro. Saiba mais…

    Petroreconcavo (RECV3) 

    A Petroreconcavo assinou contrato de comercialização de gás natural com a GNLink Distribuidora de Gás Natural para venda de gás natural no Rio Grande de Norte via modal GNL – gás natural liquefeito. Saiba mais…

    A PetroReconcavo assinou contratos com a Seacrest Petróleo SPE Norte Capixaba para a perfuração de poços terrestres localizados nos Polos Norte Capixaba e Cricaré com a Sonda de Perfuração PR-21. Saiba mais…

    Vale (VALE3) 

    A Vale divulgará o relatório de produção e vendas do primeiro trimestre de 2024 (1T24) em 16 de abril.

    A Vale divulgou um comunicado em resposta à entrevista concedida por Marcelo Gasparino, veiculada ontem (7) pelo jornal O Globo, intitulada “Mudar o comando da Petrobras seria evidência de intervencionismo”, na qual a Vale é mencionada. Saiba mais…

    Vibra (VBBR3) 

    A Vibra Energia informou que foi aprovada a 6ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, em até 2 séries, no valor total inicialmente de R$ 1,5 bilhão, sem considerar o lote adicional. Saiba mais…

    A Vibra Energia aprovou o cancelamento de 46.000.000 ações ordinárias de emissão da Companhia, mantidas em tesouraria, sem redução do valor do seu capital social, representando 92,21% do total de ações em tesouraria. Saiba mais…

    A Previ vai “puxar votos” para ser a representante dos minoritários que desaprovam a chapa única proposta para a Vibra, disse ao Broadcast o diretor de Participações da entidade, Fernando Melgarejo, frisando que há mais acionistas insatisfeitos com a chapa única apresentada por outros investidores. Saiba mais…

    (Com informações da Forbes Money, TC Mover e Momento B3)

Gratuito - Quero ver a lista de criptomoedas - clique no banner

Deixe um comentário