Veja as recomendações da corretora Ativa para janeiro

LinkedIn

O analista Lenon Borges, da corretora Ativa, avalia que o mercado pode estar mais otimista que o previsto. De acordo com ele, “a maioria dos agentes estão mais otimistas do que o plausível, justamente por conta desta ruptura [impeachment], por conta desta transformação do cenário caótico ao ambiente perfeito em um curtíssimo espaço de tempo”.

Borges ressalta que a economia brasileira enfrenta seu maior colapso em muitas décadas tanto pela intensidade da contração como por conta de sua duração. “No entanto, períodos como este nos fazem encontrar ações de boas empresas distorcidas pelo momento de stress do mercado. Empresas essas que já incorporamos (ou elevamos nossa participação) em nossas carteiras ao decorrer do ano”, afirma.

A corretora chama a atenção para o ambiente externo, especificamente para a presidência de Donald Trump e a direção de política monetária do seu governo em direção de uma normalização das taxas de juros. “Neste sentido, reduzimos levemente o risco de mercado de nossa Carteira Mensal neste mês, mas mantivemos os papéis atuais por conta de nossa boa perspectiva para essas empresas no médio prazo”, diz.

Carteiras

Na carteira Ativa, que conta com 10 ativos, o analista reduziu o peso das ações do Itaú Unibanco (BOV:ITUB4) de 15% para 10% e elevou a participação da Raia Drogasil (BOV:RADL3) de 10% para 15%. Os demais ativos selecionados são: Petrobras (BOV:PETR4) (15%), Gerdau (BOV:GGBR4) (10%), Equatorial Energia (BOV:EQTL3) (10%), Suzano Papel (BOV:SUZB5) (10%), Ultrapar (BOV:UGPA3) (10%), BR Malls (BOV:BRML3) (10%), Banco do Brasil (BOV:BBAS3) e Via Varejo (BOV:VVAR11).

Já na Carteira Valor, a Ativas trocou os papéis da Gerdau (BOV:GGBR4) pelas ações da Ambev (BOV:ABEV3). Os demais componentes do portfólio são o Banco do Brasil (BOV:BBAS3), Raia Drogasil (BOV:RADL3), Equatorial Energia (BOV:EQTL3) e Petrobras (BOV:PETR4). Cada um com a alocação sugerida de 20%.

Deixe um comentário