Bond Funds: Investidores deram preferência aos fundos de obrigações nos EUA no primeiro trimestre do ano

LinkedIn

O rali visto no mercado financeiro dos EUA no primeiro trimestre do ano – com o Dow Jones atingindo 21 mil pontos pela primeira vez na história e com os demais índices batendo recordes de alta, garantiu aos investidores de fundos de ações um retorno médio de 4,8% entre janeiro a março. Apesar do momento positivo do mercado de ações, muitos dos investidores preferiram optar pelos fundos de obrigações – ou bond funds no mercado norte-americano durante os três primeiros meses de 2017.

De acordo com o Wall Street Journal, os rendimentos mais modestos dos fundos de obrigações (nos quais se investe em obrigações e em outros instrumentos de dívida) em relação aos fundos de ações não afastaram os investidores no primeiro trimestre do ano: cerca de US$ 112 bilhões foram destinados a fundos mútuos e fundos que investem em títulos negociados em bolsa, de acordo com o  Investment Company Institute, contra US$ 34,5 bilhões destinados a fundo de ações nos EUA no período.

Esta preferência pode ser explicada pela cautela adotada por parte dos investidores, optando por fundos mais seguros e com menor risco após o rali visto em Wall Street nos últimos meses. Para o estrategista-chefe de investimentos da MainStay Investments, Charlie Reinhard, a preferência dos investidores por fundos de obrigações mostram que eles estão “tentando olhar para o mundo de uma forma mais equilibrada, tentando ser cautelosos e cuidadosos” na hora de investir.

Em alta: Fundos de obrigações (bonds funds) foram os preferidos pelos investidores nos EUA no primeiro trimestre do ano

Em alta: Fundos de obrigações (bonds funds) foram os preferidos pelos investidores nos EUA no primeiro trimestre do ano

Mudanças de comportamento

A inclinação dos investidores por fundos de obrigações mostra uma mudança de comportamento em 2017: após as eleições presidenciais norte-americanas, no final do ano passado, o dinheiro fluiu com força para os fundos de ações, com o mercado apostando que a administração de Donald Trump traria uma forte alta nas taxas de juros e uma economia mais forte no curto prazo.

Segundo um levantamento feito pela Reuters, os ganhos nos fundos de ações nos EUA no primeiro trimestre de 2017 estão em linha com o crescimento do mercado: enquanto os fundos de ações subiram cerca de 4,8% no período, o índice Dow Jones avançou 4,6%, seguido pelo S&P 500, que ganhou 5,5% entre janeiro e março.  Já os fundos de obrigações tiveram um ganho modesto no trimestre: os fundos direcionados a dividas de grau intermediário – o mais comum entre os fundos de renda fixa, avançaram tímidos 1%.

Apesar disso, a projeção dos analistas é de um ganho mais modesto nos fundos de ações ao longo de 2017 – o que pode minimizar a diferença de ganhos em relação aos fundos de obrigações. “Não esperamos ganhos tão robustos quanto no primeiro trimestre. É mais provável ver um retorno de um dígito ao final do ano”, ponderou Reinhard.

*Com informações do Wall Street Journal

**Escrito por Luana Neves, colaboradora da Liberta Global.

Deixe um comentário