EUA determina sanções econômicas diretas a Nicolás Maduro

LinkedIn

Segundo a Agência EFE, o governo dos Estados Unidos impôs nesta segunda-feira (31/07) sanções econômicas diretas contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, após a eleição da Assembleia Nacional Constituinte do país. Entre as medidas, está o congelamento de ativos sob jurisdição americana, de acordo com o que foi anunciado pelo Departamento do Tesouro dos EUA.

“As eleições ilegítimas de ontem confirmam que Maduro é um ditador que ignora a vontade do povo venezuelano”, afirmou em comunicado o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin. “Sancionando Maduro, os EUA deixam claro sua oposição às políticas desse regime e o nosso apoio às pessoas da Venezuela que procuram devolver uma democracia completa e próspera para o país”, completou a nota.

Com a sanção, foram congelados todos os ativos que Maduro possa ter sob jurisdição americana. Cidadãos dos EUA também estão proibidos de fazer qualquer transação com o presidente venezuelano.

Dessa forma, os EUA acrescentaram Maduro na lista de 13 servidores e ex-servidores venezuelanos punidos na semana passada por abusos de direitos humanos, corrupção ou de ações para minar a democracia no país.

Mcnuchin disse que o caminho para mais sanções contra funcionários do governo venezuelano está aberto. “Qualquer pessoa que participe dessa ilegítima Assembleia Nacional Constituinte pode estar exposto a futuras sanções por minar o processo democrático e as instituições na Venezuela”, afirmou.

Deixe um comentário