Cemig propõe manter usinas que União quer vender

LinkedIn

O governo enfrenta uma disputa com a Cemig (BOV:CMIG4) que pode levar ao descumprimento da meta de deficit deste ano de R$ 159 bilhões. A estatal mineira de energia entregou nesta quinta (17) uma proposta ao Ministério do Planejamento para ficar com três das quatro hidrelétricas que a União quer vender para levantar R$ 11 bilhões neste ano.

A Cemig quer devolver a usina de Volta Grande, avaliada em R$ 1,3 bilhão, e permanecer com as de São Simão, Miranda e Jaguara pagando R$ 9,7 bilhões.

O problema é que, ainda segundo a Cemig, a empresa só tem R$ 3,5 bilhões no caixa. A diferença de R$ 6,2 bilhões seria coberta por empréstimos com um grupo de bancos liderados pelo BNDES.

Representantes da Fazenda ponderaram que a operação seria possível desde que a Cemig apresentasse garantias bancárias.

Na conversa, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, disse que o endividamento da empresa já equivale a quatro vezes sua geração de caixa. Por isso, dificilmente o negócio poderia ser feito. O governo mantém a intenção de realizar os leilões, mas, para isso, terá de obter vitória no STF, onde a Cemig questiona a devolução das usinas.

Para a empresa, os contratos das três hidrelétricas previam que a primeira renovação seria automática, mas Dilma Rousseff mudou as regras do setor para a renovação contratual e a Cemig não aceitou. Por isso, a União retomou as usinas. A estatal mineira, no entanto, continua operando por meio de decisões judiciais.

Fonte: Folha de S. Paulo

Deixe um comentário