Bom Dia, Investidor!

LinkedIn

Esse é o Bom Dia, Investidor! Com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir 

A volta do feriado no Brasil deve ser marcada por ajustes nos mercados, já que ontem foi um dia de perdas nas bolsas de Nova York, em meio à falta de apoio entre os senadores republicanos à reforma tributária de Trump, e diante do recuo do presidente Michel Temer em promover uma ampla mudança ministerial, poupando aqueles que estão na mira da Lava Jato.

No Brasil, Temer aproveita o período de calmaria em Brasília para costurar o apoio da base aliada em relação à reforma da Previdência. A sinalização para o dia é positiva, com os índices futuros das bolsas de Nova York em alta, o que animou o pregão na Ásia. Os investidores se apoiam na perspectiva de que um adiamento do início da proposta de corte de gastos às empresas e às famílias nos Estados Unidos é favorável aos mercados emergentes, uma vez que o crescimento econômico norte-americano não tão acelerado reduz o risco de pressão inflacionária e de aumento de juros.

Recomendações

Hypermarcas (HYPE3) / Citi – o Citi elevou a recomendação para as ações da empresa de produtos farmacêuticos Hypermarcas de “venda” para “neutro”. O preço-alvo segue estipulado em R$ 32,31. Na terça-feira, as ações da Hypermarcas apresentavam alta de 1,66%, cotadas a R$ 32,53.

Fibria (FIBR3) / BTG Pactual – O BTG Pactual avalia que o novo reajuste nos preços da celulose anunciado pela Fibria nesta quarta-feira (15) afasta o temos do mercado sobre a possibilidade de um colapso nos preços da commodity, mostra um relatório enviado a clientes. O BTG Pactual reforça a recomendação de compra para as ações da Fibria.

Sabesp (SBSP3) / Credit Suisse – Os papéis da Sabesp (SBS) negociados em Nova York, representativos das ações SBSP3 na B3, dispararam em Nova York nesta quarta-feira (15), feriado no Brasil. Os analistas do banco reiteram a recomendação outperform (acima do mercado) e e avaliam que a recente queda dos papéis na Bolsa não tem justificativa. O preço-alvo estipulado é de R$ 42.

Magazine Luiza (MGLU3) /Bradesco – O Bradesco elevou a estimativa para as ações do Magazine Luiza para o final de 2018 de R$ 72 para R$ 75 e reiterou a recomendação de compra, mostra um relatório enviado a clientes e assinado por Richard Cathcart e Flávia Meirelles. Segundo a análise, os investidores devem voltar a olhar para as ações da varejista após a forte queda recente dos papéis.

Eneva (ENEV3) / BTG Pactual: O banco BTG Pactual voltou a recomendar a ação da Eneva. O preço-alvo estipulado pelos analistas foi de R$16,50. O valor corresponde a um potencial de valorização de aproximadamente 26%.

Natura (NATU3) / BTG Pactual: Os analistas do Banco BTG Pactual recomendam manter cautela nos papéis da Natura. O motivo é a recuperação demorada no canal de vendas diretas do Brasil e a aquisição da The Body Shop. O Banco vê um resultado mais esperançoso para a empresa no terceiro trimestre.

JBS (JBSS3) / Itaú BBA: O Banco considera bons os resultados obtidos pela companhia no terceiro trimestre de 2017. Assim, caso ocorra uma desalavancagem mais rápida, a percepção de risco também diminui. o Banco mantém a recomendação como underperform (inferior ao mercado), com preço-alvo de R$ 6.

Petrobras (PETR4) / Itaú BBA: Os analistas do Banco mantiveram a recomendação da petroleira como Outperform (acima do mercado), considerando que haverá uma melhora nos resultados operacionais dos próximos trimestres. O preço-alvo é de R$18,5.

Itaú BBA/ Buy List – O Itaú BBA realizou duas trocas em sua carteira Brazil Buy List. Saíram Bradesco e Minerva para dar espaço aos papéis do Banco do Brasil e Camil. Agora, o portfólio é composto por: Banco do Brasil, BRF, Camil, Cosan, Gerdau, Lojas Americanas, Petrobras, Smiles e Vale.

Com informações do site Money Times

Empresas

Petrobras (PETR4) / Pré-Sal – A petroleira avançou na revisão do acordo entre a Petrobras e governo federal em relação à cessão onerosa do pré-sal deve sair “idealmente” até o fim deste ano, disse ontem Pedro Parente, presidente da estatal, em evento realizado em Nova York. Essas negociações vão definir se a companhia é, afinal, credora ou devedora da União.

Cemig (CMIG4) / Dívida – O endividamento elevado continua sendo o principal obstáculo enfrentado pela Cemig. Ao final de setembro, a estatal ainda tinha R$ 3,58 bilhões em dívidas vencendo em 2017, e uma posição de caixa total disponível de R$ 1,28 bilhão. No total, a dívida consolidada da estatal chegou a R$ 14,05 bilhões no fim do terceiro trimestre, 7,4% inferior ao saldo de 31 de dezembro de 2016. Dessa dívida total, 66% vence até 2019. São R$ 3,9 bilhões vencendo em 2018 e outros R$ 1,85 bilhão em 2019.

CCR (CCRO4) / Aquisição – CCR entrou na disputa pela Invepar, dona do Metrô Rio, a Linha Amarela e o aeroporto de Guarulhos.

SBF / IPO – A Naomi Participações, acionista do Grupo SBF, afirmou em fato relevante nesta quinta-feira, 16, que sua controlada protocolou na Comissão de Valores Mobiliários um pedido de registro da SBF como companhia aberta, na qualidade de emissor categoria “A”. Também foi protocolado pedido de registro para realização de oferta pública de distribuição primária de ações ordinárias de emissão da SBF.

Ferbasa (FESA4) / Resultados – O lucro líquido da Ferbasa no 3T17 atingiu R$ 64,4 milhões. Alta de 890% ante os R$ 6,5 milhões do 3T16. Os resultados foram divulgados nesta terça, 14.

Copel (CPLE6) / Resultados – A Companhia Paranaense de Energia – Copel informou nesta terça, 14, que não arquivará junto à Comissão de Valores Mobiliários as demonstrações financeiras do terceiro trimestre de 2017 no prazo previsto.

Natura (NATU3) / Resultados – A Natura informou seus resultados trimestrais nesta terça-feira, 14. A empresa teve lucro líquido de R$ 61 milhões no 3T17. Esse resultado corresponde à queda de 16,6% na comparação com o 3T16.

Brasil e Mundo

Michel Temer / Reforma da Previdência – O presidente Michel Temer decidiu que só vai distribuir novos cargos em ministérios após a confirmação dos votos dos aliados na reforma da Previdência. Temer pretende deixar as trocas acertadas, mas quer aprovar as mudanças na aposentadoria até meados de dezembro, entregando os cargos ao Centrão e a outras siglas somente após a votação.

Donald Trump / Armas Nucleares – O Comitê de Relações Exteriores do Senado dos Estados Unidos está examinando a autoridade do presidente Donald Trump para lançar um ataque nuclear, numa audiência nesta terça-feira. O senador republicano Bob Corker, presidente do comitê e crítico de Trump, disse antes da audiência que escolheu examinar a autoridade presidencial em meio a questões de legisladores de ambos os partidos sobre a habilidade do presidente de declarar uma guerra, ativar armas nucleares e conduzir a política externa.

João Doria / Impostos –  O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), sancionou nesta quarta-feira, 15, o projeto de lei de autoria do Executivo que institui a cobrança de impostos para serviços de streaming, como Netflix e Spotify, aprovado pela Câmara Municipal no último dia 1.º de novembro. Doria, entretanto, vetou outro trecho do texto da nova norma, que previa isenção de impostos para templos religiosos.

FGV / IGP 10 – O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) avançou 0,24% em novembro, após o aumento de 0,49% registrado em outubro, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). O resultado anunciado há pouco ficou no topo das projeções dos analistas do mercado financeiro, que esperavam desde um recuo de 0,02% a uma alta 0,24%, com mediana positiva de 0,11%.

Agenda Econômica

CapturadeTela2017-11-16às09.31.07

 

 

 

Deixe um comentário