Resumo semanal: Criptomoedas

LinkedIn

Fique por dentro de tudo o que aconteceu durante essa semana no mercado de criptomoedas 

Walmart aposta na tecnologia Blockchain para rastrear alimentos na China

Os gigantes do varejo Walmart e a JD.com, a segunda maior empresa de varejo da China, estão entre as diversas empresas que apoiam um novo esforço focado na tecnologia Blockchain com o intuito de promover a segurança e a rastreabilidade dos alimentos na China. A ideia, de acordo com declarações, é desenvolver “um método baseado em padrões de coleta de dados sobre a origem, segurança e autenticidade dos alimentos” entre as partes envolvidas, com a blockchain servindo como base tecnológica para registrar essas informações em tempo real.

Quer saber como converter suas criptmoedas? Clique aqui

Coreia do Sul estabelece seis condições para a atuação das corretoras de criptomoedas

A Coreia do Sul tem sido manchete nos veículos nacionais e internacionais devido às possíveis medidas de regulatórias do mercado de criptomoedas dentro do país. A regulamentação de um dos maiores mercados mundiais de moedas digitais poderia afetar o mercado global. De acordo as últimas notícias, o governo do país está preparando um projeto de lei que tenta proibir todas as transações envolvendo criptomoedas, a menos que elas ocorram através de corretoras que atendam à seis condições impostas por ele.

De acordo com um artigo publicado pelo site Bitcoin News, ao reconhecer que as transações de criptomoedas já estão acontecendo em um alto volume dentro do país sul-coreano, os reguladores estabeleceram condições para que as corretoras de moedas digitais operem legalmente:

  1. Manter separadamente os fundos dos seus clientes
  1. Fornecer aos usuários explicações detalhadas dos riscos de investimento
  1. Confirmar os nomes reais dos seus usuários
  1. Estabelecer um sistema adequado contra lavagem de dinheiro
  1. Ter um sistema de proteção de ativos, como a dispersão de chaves privadas
  1. Aumentar a transparência ao divulgar os detalhes da transação para os clientes

Bitcoin lidera em segundo lugar o ranking de termos mais pesquisados no Google em 2017

Para pessoas que trabalham, vivem e negociam Bitcoin pode ser difícil obter uma verdadeira perspectiva sobre a popularidade da moeda digital. O Google’s Year in Search, lista divulgada anualmente pelo Google sobre os termos mais pesquisados, foi publicado e mostra o Bitcoin como o segundo termo mais procurado em de 2017, atrás somente do Furacão Irma. Ambos os eventos foram forças imparáveis neste ano, causando estragos em suas respectivas esferas. O termo Bitcoin ganhou dos termos Eclipse Solar e Coreia do Norte.

Acompanhe o fórum ADVFN sobre criptomoedas 

Receita Federal tem interesse em regular corretoras de Bitcoin, diz deputado

Durante a última audiência realizada na Câmara dos Deputados, nesta terça-feira, 12 de dezembro, promovida pela Comissão Especial de Moedas Virtuais, o deputado federal Áureo (SD-RJ) comentou sobre o desejo da Receita Federal em regulamentar as corretoras de criptomoedas brasileiras. “Eu tive uma reunião na semana passada com a Receita Federal, na qual ela já começa a sinalizar a possibilidade de regulamentar as corretoras. Eu tenho muita preocupação com a forma como vem sendo conduzida essa regulamentação no Brasil, até com divergência na própria Comissão aqui porque eu defendo uma regulamentação libertária, onde que o mercado vai se ajustar, vai se organizar, mas começa a ter uma divergência muito grande até com o relator [da Comissão]”, afirmou Áureo, no final da audiência.

Presidente do Banco Central do Brasil não muda opinião em relação ao Bitcoin

Ilan Goldfajn, presidente do Banco Central brasileiro, alertou nesta quarta-feira, 13 de dezembro, sobre os riscos do Bitcoin ser uma bolha financeira, além da moeda digital ter apenas duas funcionalidades: atividades ilícitas e esquemas de pirâmides. Essa declaração mantém o seu posicionamento pessimista em relação ao Bitcoin.

Bitcoin estreia no mercado de futuros

O primeiro contrato futuro de Bitcoin começou a ser negociado neste domingo, 10 de dezembro, em uma das maiores bolsas de Chicago, a Chicago Board Options Exchange (Cboe). O contrato com data para expirar em janeiro aumentou de US$15.460 para US$16 mil nas primeiras horas de negociação. O início das negociações sobrecarregou o site da Cboe que emitiu um comunicado informando que devido ao alto tráfego os visitantes do poderiam sofrer com lentidão ou então com indisponibilidade temporária. Apesar disso, a negociação do futuro não foi interrompida.

Deixe um comentário