Nada confirmado: China realmente quer proibir as criptomoedas

LinkedIn

De acordo com um comunicado interno obtido pela Bloomberg e pela Reuters, o vice-governador do Banco popular chinês o PBoC, Pan Gongsheng, instigou o governo a impor uma proibição total do comércio de criptomoedas.

No ano passado, o governo chinês proibiu as exchanges de operar, o que levou o fechamento das exchanges Huobi, BTCC, OKCoin e outras plataformas de negociação.

O governo chinês não pode impedir que o Huobi Pro, o BTCC e o OKEx, três das maiores exchanges de criptomoedas no mercado chinês que migraram para Hong Kong, parem suas operações porque basearam suas empresas fora da jurisdição do governo chinês.

Mas, o vice- governador do PBoC, Pan Gongsheng, sugeriu que o governo chinês “desligasse” as plataformas e exchanges na China continental para garantir que a proibição das criptomoedas fosse rigorosamente aplicada.

Nesta terça-feira (16), o vice-governador do Partido Popular da China (PBoC), Pan Gongsheng, disse ao governo:

“As inovações pseudo-financeiras que não têm relação com a economia real não devem ser apoiadas”.

Muitas notícias afirmam que a pressão imposta pelo vice-governador do PBoC Gongsheng é o motivo da recente queda no mercado de criptomoedas. No entanto, se realmente formos analisar o impacto do mercado chinês, tais afirmações são evidentemente falsas, dado que o mercado chinês de negociação de criptomoedas é zero, praticamente não tem volume. A China proibiu o comércio de criptomoedas em setembro de 2017.

É exagerado afirmar que a China está por trás da recente correção do mercado de criptomoedas, porque o mercado não tem nenhum volume de negociação.

Deixe um comentário