Bom dia, Investidor! 07 de março de 2018

LinkedIn

Esse é o Bom Dia, Investidor, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir! 

Para saber o que aconteceu ontem após o fechamento do mercado, confira o nosso Boa noite, Investidor!

Pré Market

Foi passageiro o alívio dos mercados financeiros com as medidas protecionistas adotadas pelo governo Trump. Bastou o conselheiro econômico da Casa Branca, Gary Cohn, renunciar ao cargo ontem, na esteira da imposição de sobretaxas na importação de aço e alumínio, para os investidores se darem conta de que a guerra comercial acionada pelos Estados Unidos veio para ficar, mesmo sem o apoio do partido republicano ou de aliados.

Os índices futuros das bolsas de Nova York têm quedas aceleradas nesta manhã, reagindo mal à saída do principal assessor do presidente norte-americano, Donald Trump. Cohn é banqueiro de Wall Street, com passagem pelo Goldman Sachs, e se tornou personagem fundamental da reforma tributária lançada pelos EUA no ano passado e uma das principais forças contrárias ao protecionismo de Trump, advogando a favor do livre comércio global.

A saída de Cohn mostra que os mercados estavam errados ao subestimar a intenção de Trump de proteger alguns setores industriais e o comércio dos EUA com o restante do mundo, atingindo não só os chineses, mas também aliados próximos como Canadá e México, além de parceiros de décadas, como os europeus. Com isso, as principais bolsas asiáticas fecharam no vermelho e as praças na Europa também abriram no campo negativo.

Ao mesmo tempo, os investidores aumentam a busca por proteção em ativos seguros, tentando assimilar as implicações do protecionismo de Trump, o que impulsiona o iene e o juro projetado pelos títulos norte-americanos. O euro também mede forças em relação ao dólar, mas a moeda norte-americana ganha terreno das rivais emergentes, em meio ao recuo das commodities industriais, como o petróleo e o cobre.

Leia: Pré-Market: Mercado cai na real

Destaques Corporativos

Tim Participações (TIMP3): A Tim Participações informou que, entre os anos de 2018 e 2020, a empresa espera investir cerca de R$ 12 bilhões.

Ecorodovias (ECOR3): A Ecorodovias anunciou a venda de 100% do capital social da Elog, detido pela companhia, para a empresa Multilog. O valor total da transição foi de R$ 90 milhões.

Banco do Brasil (BBAS3): O Banco do Brasil informou nesta terça-feira (6), após o fechamento do mercado, que o valor atualizado do seu juro sobre capital próprio, referente ao quarto trimestre de 2017, é de R$ 0,24567095768 por ação.

Oi (OIBR4): Após o Conselho de Administração da Oi anunciar, nesta terça-feira (6), que foi aprovado um aumento de capital de até R$ 12,29 bilhões, a Pharol (principal acionista da empresa), solicitou a suspensão da decisão.

BRF (BRFS3): O presidente-executivo do grupo BRF Foods, José Aurélio Drummond Jr., se reuniu, em Brasília, com o ministro da agricultura, Blairo Maggi, para discutir os desdobramentos da Operação Trapaça — deflagrada na segunda-feira (5), pela Polícia Federal, com o intuito de investigar fraudes em analises laboratoriais relacionados à contaminação de carne pela bactéria Salmonella pullorum.

Cemig (CMIG4): A Cemig informou que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou a proposta de aumento médio de 25,87% na tarifa de luz da empresa.

Gol (GOLL4): A Gol anunciou na noite desta terça-feira (6), que durante o quarto trimestre de 2017, a empresa reverteu o prejuízo líquido apresentado no mesmo período do ano anterior. Segundo a Gol, o lucro líquido durante o 4T17 foi de R$ 5,7

Recomendações de Ativos

Gerdau (GGBR4): Os analistas do Bradesco BBI elevaram o preço alvo do ativo para R$ 21; a recomendação foi alterada para outperform. 

Smiles (SMLS3):  O banco BTG Pactual optou por deixar a recomendação da Smiles em “revisão”, após a decisão de cortar o payout para 25% do lucro.

Kroton (KROT3): A equipe do Morgan Stanley cortou o alvo da Kroton de R$ 27,40 para R$ 19,90.

Localiza (RENT3): Após o forte desempenho apresentado no 4T17, a Safra Corretora reajustou o preço-alvo do ativo para R$ 29; recomendação outperform.

Cielo (CIEL3): A recomendação do papel foi mantida como neutra pela equipe de analise do BTG Pactual.

SulAmerica (SULA11): Após a melhora operacional apresentada, os analistas do Santander elevaram a recomendação das units da Sulamerica para compra, com preço alvo em R$ 26.

Ambev (ABEV3): O BTG pactual elevou o preço-alvo do ativo para R$ 21 e reiterou a recomendação como neutra. 

Notícias

Commodities / Minério de Ferro – Os contratos futuros do minério de ferro, negociados na bolsa de Dalian, na China, encerraram a jornada desta quarta-feira (7) com queda de 0,48%, a 517,5  iuanes por tonelada.

PIB / Zona do Euro – O Produto Interno Bruto da zona do euro obteve um crescimento de 2,3% em 2017, segundo a Eurostat. Esse foi o ritmo de crescimento mais rápido desde 2007, quando PIB estava em 3%.

Moody’s / BRF – A agência de classificação de risco Moody’s rebaixou a nota de credito da BRF, passando de ‘Ba1’ para ‘Ba2’, com perspectiva negativa. Segundo a agência, a principal justificativa para o corte, foi a operação Trapaça — deflagrada pela Polícia Federal na última segunda-feira, 5.

Habeas Corpus / Lula – O Supremo Tribunal Federal negou, nesta terça-feira (6), o pedido de habeas corpus do ex-presidente Lula. Com isso, Lula pode ser preso logo após o Tribunal Regional Federal da 4ª Região julgar o recurso da defesa.

Cotação / Bitcoin – A principal criptomoeda iniciou a quarta-feira em queda. Com desvalorização de 1.12%, o bitcoin estava cotado a US$ 10.588,83.

Agenda Econômica

BRASIL
* A Fundação Getulio Vargas (FGV) divulga às 8h os dados do Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) referentes a fevereiro. O Termômetro CMA aponta para alta de 0,1% ante janeiro, mas queda de 0,24% em 12 meses.

* O Banco Central (BC) divulga às 12h30 os dados do fluxo cambial, posição dos bancos e o Indice de commodities (IC-Br) de fevereiro.

ESTADOS UNIDOS

* Os dados sobre a criação de emprego no setor privado em fevereiro serão publicados às 10h15 pela ADP. Em janeiro, foram criadas 234 mil vagas. A expectativa é de criação de 200 mil vagas em fevereiro.

* O resultado da balança comercial de janeiro será publicado às 10h30 pelo Departamento do Comércio. Em dezembro, houve déficit de US$ 53,1 bilhões. Analistas esperam déficit de US$ 55 bilhões em janeiro.

* Os dados revisados sobre custo da mão de obra e produtividade no quarto trimestre de 2017 serão publicados às 10h30 pelo Departamento do Trabalho. Na versão preliminar, o custo da mão de obra subiu 2% ante o terceiro trimestre e a produtividade caiu 0,1%. Analistas esperam alta de 2,1% no custo e queda de 0,1% na produtividade na leitura final.

* A posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana passada será publicada às 12h30 pelo Departamento de Energia (DoE).

* O Livro Bege, relatório com uma avaliação da situação econômica, será publicado às 16h pelo Federal Reserve.

* Os dados sobre o crédito ao consumidor de janeiro serão publicados às 17h pelo Federal Reserve. Em dezembro, o crédito cresceu em US$ 18,45 bilhões ante o mês anterior. Analistas preveem alta de US$ 16 bilhões em janeiro.

EUROPA E ÁSIA
* Japão: a leitura preliminar do índice de indicadores antecedentes de janeiro será publicada às 2h pelo gabinete do governo. Em dezembro, o índice caiu para 107,4 pontos, depois dos 108,2 pontos de novembro.

* Eurozona: a leitura final do Produto Interno Bruto (PIB) do quarto trimestre de 2017 será publicada às 7h pela Eurostat. A segunda leitura apontou alta de 0,6% ante o terceiro trimestre e de 2,7% ante o quarto trimestre de 2016.

* Japão: a leitura revisada do Produto Interno Bruto (PIB) do quarto trimestre de 2017 será publicada às 20h50 pelo gabinete do governo. A versão preliminar mostrou alta de 0,1% ante o terceiro trimestre e de 0,5% em taxa anualizada.

* Japão: o saldo em conta corrente de janeiro será publicado às 20h50 pelo Ministério de Finanças do país. Em dezembro houve superávit de 797,2 bilhões de ienes.

 

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.