Estresse pode diminuir

LinkedIn

O estresse dos mercados pode diminuir na sessão de hoje por conta de grande interferência anunciada pelo Bacen e, principalmente, pela atuação do Tesouro na compra de títulos, com efeito sobre as taxas de juros de mais longo prazo. Antes disso, na semana passada, o segmento Bovespa observou queda de 3,00% e, no ano, já tem queda acumulada de 7,39%, com o índice encerrando em 70757 pontos. O dólar teve valorização de 0,73%, com a moeda encerrando em R$ 3,73, mas, durante a semana, chegou a vazar a cotação de R$ 3,81%.  O Bacen teve que interferir forte, principalmente mais para o final da semana.

Hoje, os mercados que operaram na Ásia tiveram dia de queda, e a Europa e o mercado futuro americano também no campo negativo neste início de manhã. Aqui, dia de vencimento de opções com exercício possivelmente fraco, mas com volatilidade, mesmo considerando que tivemos oito pregões de queda, dos últimos nove considerados.

No Japão, o saldo da balança comercial de maio foi déficit de 578,3 bilhões de ienes, com as exportações crescendo 8,1% e importações com +14,0%. Austrália e União Europeia buscando acordos comerciais e com o Mercosul e União Europeia o desfecho ainda está longe. Hoje investidores vão avaliar os reflexos das disputas comerciais entre os EUA e China com retaliações pesadas anunciadas, tendo ainda estudos para aumentar mais US$ 100 bilhões. Isso na ponta final pode significar menor crescimento global e preços desequilibrados nas commodities.

Aliás, a semana embute reunião da OPEP com decisões anunciadas na próxima sexta-feira, que pode significar aumento da produção de óleo. Isso mesmo com a Líbia indicando que ataques ocorridos em portos afetaram a estocagem de óleo. Na sequência dos mercados o petróleo WTI negociado em NY mostrava queda de 0,17%, com o barril cotado a US$ 64,95. O euro era transacionado em alta para US$ 1,161 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 2,90, em queda. O ouro e a prata em altas na Comex e commodities agrícolas com comportamento misto na bolsa de Chicago. A criptomoeda bitcoin em queda de 1,68% e cotada a US$ 6420.

No cenário local, o Cade disse que a tabela de fretes representa cartel e prejudica o consumidor. Já a FGV anunciou o IPC-S da segunda quadrissemana de junho em alta para 1,00%, vindo de anterior em 0,70%. A pesquisa semanal Focus do Bacen veio novamente negativa, com inflação subindo em 2018 para 3,88% e PIB encolhendo para 1,76%, de anterior em 1,94%. A previsão de PIB de 2019 também caiu para 2,70%. O dólar também subiu no final do ano para R$ 3,63%, vindo de R$ 3,50.

No mercado, os DIs começaram o dia em queda, absorvendo anúncio do Tesouro, mas o dólar começou em R$ 3,75, em alta 0,158. Na B3, dia começando com viés de baixa e afetado pelo exercício de opções.

Bom dia e bons negócios.

Deixe um comentário