Banco JP Morgan expande blockchain envolvendo 220 bancos para incluir pagamentos

LinkedIn

O banco JP Morgan Chase, um dos maiores bancos de investimentos dos Estados Unidos, está planejando expandir um projeto de blockchain já existente incluindo recursos novos de liquidação (pagamentos), uma vez que busca afastar a concorrência de empresas iniciantes no setor de pagamentos, como a TransferWise e a Ripple.

A Interbank Information Network (IIN) baseada em blockchain, criado em parceria com o banco australiano ANZ e o Royal Bank of Canada em 2017, atualmente permite que mais de 220 bancos membros atinjam pagamentos que contenham erros ou sejam retidos por motivos de conformidade. – problemas que podem levar semanas para serem resolvidos com vários bancos envolvidos na cadeia de pagamentos.

A agência de notícias Financial Times informou neste domingo, 21 de abril, que John Hunter, diretor de compensação global do JP Morgan, disse que o IIN está se desenvolvendo rapidamente e que o banco está “olhando para a capacidade de fazer mais no ponto de liquidação”.

Agora, o JP Morgan, disse ele, incorporou um recurso que permite a verificação em tempo real de que uma transação está sendo enviada para uma conta válida. Atualmente, um erro no número da conta do destinatário, no código de classificação ou em outros detalhes pode resultar na rejeição do pagamento dias após o envio.

Sobre essa questão, o processamento de pagamentos dos bancos ainda está “entre meados dos anos 80 e meados dos anos 90”, segundo Hunter. Os “5 a 20% dos pagamentos” que falham por causa de um erro ou problemas de conformidade são “onde estamos tentando aliviar um pouco dessa dor”, disse ele.

A Financial Times disse que o sistema de liquidação estará em operação até o terceiro trimestre de 2019 e permitirá pagamentos domésticos e internacionais.

O Interbank Information Network foi construído sobre o Quorum, rede blockchain baseada no Ethereum e revelada pelo banco em 2016. Essa plataforma é também a tecnologia subjacente para a moeda digital JPM Coin, cujos detalhes foram divulgados em fevereiro deste ano.

O JP Morgan também está montando uma sandbox de testes – que também será lançada no terceiro trimestre – permitindo que fintechs usem o IIN e finalmente desenvolvam e iniciem aplicativos baseados em seus recursos.

 

Por Amanda Bastiani

 

Deixe um comentário