PMS: Atividades turísticas no Brasil cresceram 4,8% em Março de 2019

LinkedIn

Em março de 2019, o índice de atividades turísticas apontou expansão de 4,8% frente ao mês imediatamente anterior, após recuar 4,2% em fevereiro. Regionalmente, onze das doze unidades da federação acompanharam este movimento de crescimento observado no Brasil, com destaque para os avanços vindos de São Paulo (3,0%), do Rio de Janeiro (7,9%), do Distrito Federal (18,2%) e de Santa Catarina (12,2%), com os três primeiros eliminando os recuos observados em fevereiro: de -1,4%, -6,1% e -11,1%, respectivamente; enquanto o último recuperou parte da perda de 13,5% verificada nos dois primeiros meses deste ano. Em sentido contrário, a única influência negativa veio do Espírito Santo (-0,1%), após acumular ganho de 7,3% entre novembro de 2018 e fevereiro de 2019.

Na comparação março de 2019 / março de 2018, o índice de volume de atividades turísticas no Brasil apresentou expansão de 1,9%, impulsionado, principalmente, pelo aumento de receita das empresas de hotéis, de restaurantes e de locação de automóveis. Em sentido oposto, o segmento de transporte aéreo de passageiros exerceu a influência negativa mais importante sobre os serviços turísticos. Em termos regionais, sete das doze unidades da federação onde o indicador é investigado mostraram avanço nos serviços voltados ao turismo, com destaque para São Paulo (3,8%), Rio de Janeiro (3,7%), Bahia (7,1%) e Ceará (10,4%). Em contrapartida, os impactos negativos mais importantes vieram do Rio Grande do Sul (-6,5%) e do Paraná (-4,2%).

No indicador acumulado de janeiro a março de 2019, o agregado especial de atividades turísticas mostrou crescimento de 3,5% frente a igual período do ano passado, impulsionado, sobretudo, pelos ramos de hotéis e de serviços de catering, bufê e outros serviços de comida preparada. Em sentido oposto, o principal impacto negativo ficou com o segmento de gestão de espaços para artes cênicas e espetáculos. Regionalmente, apenas cinco dos doze locais investigados também registraram taxas positivas, com destaque para São Paulo (9,8%), seguido por Ceará (10,6%) e Pernambuco (2,2%). Por outro lado, Rio Grande do Sul (-3,4%), Santa Catarina (-3,0%) e Distrito Federal (-3,0%) assinalaram as principais influências negativas no acumulado do ano para as atividades turísticas.

Setor de Serviços no Brasil em Março de 2019

Em março de 2019, o volume de serviços no Brasil mostrou retração de 0,7% frente ao mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, acumulando, assim, perda de 1,7% nos três primeiros meses do ano e eliminando a expansão observada entre outubro e dezembro de 2018 (0,9%). Na série sem ajuste sazonal, no confronto com igual mês do ano anterior, o total do volume de serviços, ao recuar 2,3% em março de 2019, interrompeu uma sequência de sete taxas positivas nesse tipo de confronto, e registrou a queda mais intensa desde maio de 2018 (-3,8%).

No indicador acumulado de janeiro a março de 2019 (1,1%), o volume de serviços mostrou ganho de dinamismo frente ao encerramento do terceiro (0,7%) e quarto (0,9%) trimestres de 2018. A taxa anualizada, indicador acumulado nos últimos doze meses, ao passar de 0,7% em fevereiro para 0,6% em março de 2019, interrompeu a trajetória predominantemente ascendente observada desde abril de 2017 (-5,1%).

Clique aqui para saber mais sobre o desempenho do setor de serviços brasileiro em Março de 2019.

Deixe um comentário