Empresa TRIPLE-I do Japão vai reforçar setor de mineração de Bitcoin

LinkedIn

A mineração do Bitcoin é uma atividade essencial para o funcionamento da moeda, que ganhará mais um participante vindo do Japão. Uma empresa anunciou a produção de novos chips para o setor.

Atualmente, a Bitmain é uma das empresas mais reconhecidas no setor, produzindo os principais chips de mineração de Bitcoin do mundo. A concorrência japonesa virá pela já estabelecida TRIPLE-1, que anunciou um novo produto.

Contudo, o novo produto não será apenas mais um, pois trará uma inovação significativa, de acordo com a empresa. A produção em massa do chamado KamikazeII irá iniciar em 2021.

Empresa TRIPLE-I do Japão vai reforçar setor de mineração de Bitcoin

A TRIPLE-I, com sede no Japão, afirmou que entrará 2021 com a produção do novo ASIC para mineração de Bitcoin. O produto foi apelidado de KamikazeII, que terá uma produção em massa feita pela empresa.

A inovação deste produto virá no sentido de concorrer com chips produzidos por outras empresas, principalmente da China. O processador IA que está sendo desenvolvido pela TRIPLE-I chega para abalar o atual oligopólio do setor.

Segundo um comunicado de imprensa, o foco do novo produto é mostrar um super-chip, com processador de apenas 7nn, feito pela TSMC, empresa de Taiwan. O processador “GOKU”, que conta com implementação de deep learning, terá o tamanho de 5nn.

A empresa já produzia desde 2017 o chip ASIC Kamikaze. Em comparação com o novo produto, a versão anterior consome mais energia elétrica e produz dez vezes menos hashs, necessários na atividade de mineração.

CapturadeTela2020-02-05às13.54.28
Comparação de ASICs Kamikaze e KamikazeII produzidos pela TRIPLE-I – Reprodução/Comunicado de Imprensa TRIPLE-I

De acordo com a empresa, a busca por uma maior eficiência energética será constante nos próximos anos. Isso porque a energia gasta com servidores será de 10% de todas a produção mundial em 2030, ou seja, as empresas devem se conscientizar deste problema.

“…espera-se que o consumo elétrico de data centers exceda 10% da energia elétrica do mundo inteiro até 2030. TRIPLO-1 acredita que os processadores de IA com deep learning precisam não apenas do alto “poder de computação” para aprender e processar uma enorme quantidade de dados, mas também um ponto de vista severo sobre o “consumo de energia” do ponto de vista da conservação de energia e redução de custos.”

Porque é importante para o futuro do Bitcoin ver inovações neste setor?

O anúncio do novo chip da TRIPLE-I poderia passar despercebido por vários entusiastas da rede Bitcoin. Alguns detalhes, porém, chamam atenção para este anúncio no início de fevereiro de 2020.

Primeiramente, o setor de mineração de Bitcoin é responsável por processar as transações desta criptomoeda. Além disso, possuem a responsabilidade de manter a rede segura. Logo, uma busca por melhora na eficiência dos chips é fundamental para continuar mantendo a rede segura, com uma recompensa atraente para as empresas que trabalham diariamente no setor. Cabe o destaque que a rede Bitcoin, diferente de bancos, processa transações 24 horas, sete dias por semana.

Em outro ponto, o halving do Bitcoin que se aproxima em maio de 2020 irá diminuir pela metade a recompensa da atividade. Ou seja, vários mineradores que possuem máquinas antigas provavelmente terão prejuízos com essa atividade. Neste sentido, os mineradores irão trocar suas máquinas por outras modernas ou abandonarão a mineração de Bitcoin. A chegada de mais uma opção no mercado oferece mais condições para uma possível troca de equipamentos.

Por fim, ver novos chips surgindo no setor pode fomentar uma corrida para tornar atrativo a mineração. Além disso, chips com maior eficiência deverão ser lançados para este setor, que concorre também com o mercado de games na busca pelos melhores hardwares gráficos.

Veja o Ranking das principais criptomoedas

Deixe um comentário