Petróleo fecha em forte queda com investidores avaliando corte de produção

LinkedIn

Os preços do petróleo fecharam em queda mais uma vez, com os investidores avaliando os cortes de produção acordados na semana passada e ainda receosos com o esgotamento da capacidade de armazenamento global da commodity.

O contrato do WTI para junho fechou em queda de 24,55%, a US$ 12,78 o barril na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex). O contrato do Brent para o mesmo vencimento recuou 6,76%, a US$ 19,99 o barril na ICE, em Londres.

A queda desta segunda-feira (27) reverte a recuperação vista no fim da semana passada, refletindo o ceticismo dos investidores sobre os cortes de produção de petróleo de 9,7 milhões de barris por dia, acordado na semana passada. O corte, que deve ser colocado em efeito na sexta-feira (1º de maio), representa cerca de 13% da oferta global da commodity.

Muitos investidores se mostram relutantes em segurar futuros do petróleo após o susto da segunda-feira passada, quando o preço do contrato do WTI com vencimento em maio recuou a terreno negativo pela primeira vez na história. O movimento ocorreu próximo do vencimento e em meio à falta de capacidade de armazenamento na central de Cushing, Oklahoma.

Quando o contrato futuro vence, ele precisa ou ser vendido ou o seu proprietário precisa receber um carregamento de petróleo até um determinado prazo. A queda abaixo de zero foi motivada por investidores incapazes de encontrar locais de armazenamento e sendo obrigados a vender os papéis, ilustrando os riscos de segurar papéis de petróleo prestes a expirar.

O contrato do petróleo Brent para junho vence na quinta-feira (30), colocando o mercado de petróleo em alerta.

Companhias do setor privado, sobretudo no Golfo do México, já começaram a fechar as torneiras. De acordo com o último relatório semanal da Baker Hughes, divulgado na última sexta-feira (24), o número de sondas de petróleo em operação nos EUA caiu em 60 unidades na semana passada, para 378, caindo quase pela metade desde o dia 13 de março.

Em mais um sinal da ansiedade dos investidores sobre o mercado de petróleo, o U.S. Oil (USO), o maior ETF dos Estados Unidos (fundo de índice) negociado em bolsa com exposição a petróleo, anunciou, hoje, que reduziria ainda mais sua participação em contratos futuros de petróleo em meses específicos.

O valor do USO tem despencado junto com o preço do petróleo nas últimas semanas, e reguladores do mercado americano acreditam que a enorme participação do fundo nos contratos futuros acabou contribuindo para a distorção dos preços.

O fundo terá, agora, aproximadamente 30% de suas participações nos contratos futuros de julho e aproximadamente 15% de suas participações em cada um dos contratos de agosto, setembro, outubro e dezembro, pulando novembro. O USO mudará cerca de um terço de suas posições para as participações mencionadas acima em 27, 28 e 29 de abril.

*Informações do Valor (por André Mizutani e Gabriel Roca)

Deixe um comentário