Cury (CURY3) tem IPO estimado entre R$ 11 e R$ 14,30 por ação

LinkedIn

Cury (BOV:CURY3), construtora a caminho de entrar na Bolsa, teve avaliada a faixa indicativa de preço de suas ações, que ficaram entre R$ 11 a R$ 14,30, de acordo com o prospecto mais recente.

Segundo o prospecto, o período de reserva inicia na próxima quinta-feira (3) e encerra-se em 16 de setembro de 2020. Já o início das negociações em bolsa acontece em 21 de setembro deste ano.

Ela será listada no Novo Mercado e terá distribuição primária e secundária.

A empresa pediu, no dia 21 de fevereiro deste ano, registro para oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), ampliando a fila de empresas do setor imobiliário que planejam captar recursos no mercado para crescer.

Após a realização da oferta, um montante de até 90.909.091.090.909 ações de emissão da companhia, representativas de, aproximadamente, 31,15% do seu capital social, estarão em circulação no mercado, afirma o documento.

Segundo o prospecto preliminar apresentado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a operação envolve ofertas primária e secundária de ações e será coordenado por BTG Pactual, Itaú BBA, Bank of America e Caixa Econômica Federal.

 

A Cyrela (CYRE3) será um dos acionistas vendedores na oferta secundária de ações da Cury, que se apresenta como um incorporadora de baixa e média renda, com foco nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

Informações financeiras 

No ano passado, a Cury lucrou R$ 204 milhões em 2019.

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado ficou em R$ 251 milhões.

A receita líquida da Cury em 2019 foi de R$ 1,019 bilhão.

Já a dívida líquida da empresa totalizou R$ 27 milhões no ano passado.

Em relatório de junho do ano passado, o Itaú BBA calculava um valor de mercado implícito para a Cury de R$ 1,3 bilhão a R$ 1,6 bilhão.

Sobre a Cury Construtora

A Cury foi fundada em 1963 por Elias Cury. Já sob o comando de seu filho, Fábio, a empresa firmou uma joint venture com a Cyrela, maior do setor.

O negócio supria uma deficiência da Cyrela, focada em clientes de média e alta renda.  A Cury já atuava na construção de imóveis para baixa renda. A parceria fez muito mais sentido dois anos depois, quando o governo federal lançou o programa Minha Casa, Minha Vida.

A Cyrela possui 48,25% de posição acionária na Cury. Em março, a Cury representava aproximadamente 2,22% do seu patrimônio líquido consolidado.

No ano passado, a Cury lançou 14 empreendimentos imobiliários com Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 1,14 bilhão.

No primeiro semestre de 2020, a empresa lançou seis empreendimentos. Com isso, totalizou R$ 469,1 milhões de VGV, dos quais R$ 384 milhões referem-se à participação da empresa.

Deixe um comentário