Sabesp nega que vai voltar ao programa de capitalização

LinkedIn

A Sabesp, em resposta ao pedido de esclarecimento da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) sobre o anúncio de capitalização da companhia feito pelo governador de São Paulo, João Doria, afirmou que não há, até o momento, nenhum processo competitivo ou projeto específico aberto do qual tenha formalmente tomado a decisão de participar.

Em carta endereçada à companhia (BOV:SBSP3), o governador em exercício, Rodrigo Garcia, afirmou que não há ainda uma decisão tomada a respeito do modelo de reorganização societária da Sabesp, e que o grupo de trabalho constituído ainda não concluiu suas atividades, estando no aguardo da análise dos vetos, pelo Congresso Nacional, da Lei que atualiza o marco legal do saneamento, para assim poder dar continuidade aos trabalhos.

Após a fala do governador, em uma teleconferência promovida por um banco, as ações da Sabesp fecharam o pregão de ontem em queda de 5,04%, a R$ 52,75, e ao longo do dia chegaram a se desvalorizar mais de 10%.

Sabesp registrou lucro líquido de R$ 378,2 milhões no segundo trimestre de 2020, em queda de 16,8% sobre o lucro líquido de R$ 454,4 milhões apurado no mesmo trimestre do ano passado.

Entenda o caso

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta quarta-feira que o Estado fará a capitalização da Sabesp. Doria disse que a empresa vai voltar ao programa de capitalização do governo paulista e, a partir deste mês, prestará serviço a outros Estados.

“[A Sabesp] vai disputar concessões de distribuição e tratamento de água e do lixo”, disse. “[Sabesp] terá crescimento exponencial e seu valor colocado em bolsa em amplo programa de privatização que vamos anunciar.”

O governador falou sobre a empresa ao participar de uma conferência online promovida por um banco em São Paulo. Doria, no entanto, não apresentou um cronograma nem detalhou a proposta.

Em nota, a Sabesp diz que busca se posicionar frente ao novo marco do saneamento que trouxe oportunidades que permitem à empresa ampliar sua atuação no mercado de saneamento e também investir em novos negócios, como o tratamento de resíduos e a geração de energia.

A Sabesp lembrou na nota que fortaleceu os contratos de programas com 375 municípios do Estado de São Paulo com vistas à universalização.

“Tais ações permitiram o crescimento, a qualificação e o fortalecimento da empresa, de modo a prepará-la para as melhores soluções que ainda serão definidas pelo governo, incluindo a privatização.”

Visão de mercado

De acordo com o analista de empresas, Luis Sales, da Guide Investimentos, o Impacto é Negativo. Após forte reação negativa dos papéis na sessão da última quarta-feira, a Sabesp esclareceu que até o momento, não existe nenhum processo competitivo ou projeto específico aberto de privatização do qual tenha formalmente tomado a decisão de participar. Com isso, entende-se que seu processo de privatização não deve ocorrer muito em breve.

A XP Investimentos, não descarta que a mudança de opção do Estado pela capitalização reflita os eventuais riscos de judicialização para um processo de privatização juntamente aos municípios, conforme destacamos em relatório recente sobre o tema. Mantemos recomendação Neutra nas ações da Sabesp, com preço-alvo de R$51/ação.

Fonte Valor

Deixe um comentário