Duratex (DTEX3) 3T20: Lucro líquido de R$ 123,9 milhões

LinkedIn

Com a recuperação da demanda por móveis e materiais de construção, a Duratex (dona de marcas como Deca, Hidra, Durafloor, entre outros) apresentou lucro líquido de R$ 123,939 milhões no terceiro trimestre de 2020, aumento de 347,2% ante os R$ 27,715 milhões anotados no mesmo período de 2019.

Os resultados da Duratex (BOV:DTEX3) referente a suas operações do segundo trimestre de 2020, foram divulgados no dia 03/11/2020.

O lucro líquido recorrente (que desconsidera efeitos de reestruturações fabris e venda de ativos, entre outros eventos considerados não recorrentes) foi a R$ 175,719 milhões, expansão de R$ 30,472 milhões na mesma base de comparação.

Ebtida – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização –tingiu R$ 391,085 milhões, crescimento de 58,5%. A margem Ebitda cresceu 3,1 pontos porcentuais, para 22,0%. O Ebitda ajustado e recorrente foi a R$ 433,787 milhões, alta de 82,3%. A margem cresceu 6,2 pontos, para 24,4%.

→A Duratex atua em três divisões – Deca, Madeira e Revestimentos Cerâmicos. A divisão Deca produz e comercializa louças, metais, duchas e torneiras elétricas sob as marcas Deca e Hydra. A divisão Madeira atua na produção e comercialização de painéis MDP e MDF, além de pisos laminados e vinílicos, com a marca Durafloor. A divisão Madeira também engloba o segmento Florestal, no qual a Duratex possui mais de 150 mil hectares de terra. A divisão Revestimentos Cerâmicos produz e comercializa revestimentos para piso e parede utilizando a marca Ceusa que é destaque no mercado nacional por seus atributos de inovação, qualidade e tecnologia de ponta. A Duratex atua na comercialização de louças, metais e outros e também em madeira e revestimentos cerâmicos. Com sede na cidade de São Paulo, a Duratex conta com mais de 11 mil colaboradores em 7 unidades florestais e 16 unidades industriais no Brasil, além de 3 fábricas na Colômbia. A empresa possui R$ 13,4 bilhões de valor de mercado. Confira a Análise completa da empresa com informações exclusivas.

A receita líquida totalizou R$ 1,778 bilhão, avanço de 35,9%. O salto nos resultados da Duratex ocorreu por uma combinação de fatores positivos, sendo o principal deles o crescimento na expedição de painéis de madeiras (38,5%), revestimentos cerâmicos (46,7%) e Deca, de louças e metais sanitários (25,3%), o que elevou o faturamento no período.

resultado financeiro foi negativo em R$ 32,9 milhões, o que representa uma melhora de 41,9% na comparação anual. Isso porque no terceiro trimestre do ano passado a empresa comprou a Cecrisa e consolidou as dívidas desta empresa no balanço.

A produção terminará 2020 acima dos níveis de 2019, graças ao avanço na demanda tanto no varejo quanto no atacado.

A empresa tem se beneficiado do aumento no consumo de móveis e materiais de construção, já que as pessoas têm ficado mais tempo em casa, e novos canteiros de obras estão sendo abertos.

O balanço do terceiro trimestre deste ano também contabilizou na íntegra os resultados da Cecrisa, unidade industrial adquirida pela Duratex e que teve apenas os resultados de agosto e setembro apurados no balanço do trimestre no ano passado.

Além disso, a companhia avançou nas medidas de melhoria das plantas industriais para ganho de escala, diluição de custos e aumento de eficiência, o que aumentou as margens; e diminuiu suas despesas com pagamentos de juros, o que aparece na melhora do resultado financeiro.

Por outro lado, o custo dos produtos vendidos subiu 28,8%, para R$ 1,069 bilhão, influenciado pela desvalorização do real, já que muitos insumos como metais e resinas são importados.

A dívida líquida da Duratex foi de  R$ 1,885 bilhão no final do terceiro trimestre, R$ 294,7 milhões abaixo do apresentado no segundo trimestre de 2020. O índice de alavancagem (dívida sobre Ebitda) ficou em 1,79 vez, menor patamar dos últimos 5 anos. O custo médio de financiamentos encerrou o período a 159,4% do CDI (3,0% a.a.) e o prazo médio de vencimento é de 3,3 anos, em linha com o apresentado no trimestre anterior.

VISÃO DE MERCADO

BTG Pactual

BTG Pactual classificou o resultado da Duratex como excelente.

A superação em relação as nossas expectativas veio principalmente na esteira de volumes mais fortes e maior controle de custos e despesas”, avaliaram Leonardo Correa, Caio Greiner e Ricardo Cavalieri, autores do relatório divulgado pelo BTG.

“A empresa está sendo beneficiada por fortes mercados de construção no Brasil, especialmente a construção de pequeno porte, já que as pessoas ficam em casa e trabalham em reformas/renovações”.

BTG Pactual mantém recomendação de compra para Duratex, com preço-alvo de R$ 24,00.

Guide Investimentos

Para Luis Sales, o Impacto é Positivo. Impulsionado pela acelerada retomada na demanda, a Duratex reportou fortes resultados, já com grande recuperação dos impactos da pandemia.

Deixe um comentário