Iene digital tornará mercado de criptomoedas "mais animado", diz CEO da Monex

LinkedIn

No início do outono no hemisfério norte, o Banco do Japão anunciou seus planos para começar a testar uma moeda digital de banco central em 2021. Mais detalhes da abordagem da instituição para o desenvolvimento e as colaborações surgiram desde então, com indicações de que o setor privado está prestes a desempenhar um papel primordial, pelo menos na fase de teste.

Na terça-feira, a Reuters relatou que o CEO da gigante japonesa de serviços financeiros Monex Inc. está dando boas-vindas à postura mais proativa do banco central em relação às moedas digitais de banco central (CBDCs).

O CEO Oki Matsumoto argumentou que qualquer movimento para introduzir uma CBDC seria positivo para a digitalização da economia japonesa, tornando-a mais eficiente. Além disso, Matsumoto também viu uma vantagem para o setor de moeda digital não relacionadas aos bancos:

“As CBDCs aumentarão significativamente a interoperabilidade das criptomoedas. Isso tornaria o mercado de criptomoedas mais animado. ”

Para Matsumoto, o fato de muitos usuários de exchanges de criptomoedas menores não possuírem contas bancárias representa um limite e um obstáculo para os traders que buscam converter suas criptomoedas em moeda fiduciária. Com uma CBDC no Japão, argumentou ele, haveria o potencial de apoiar uma conversão mais suave entre criptomoedas e propostas legais dentro de uma plataforma “digital amigável”.

A Monex Inc. notavelmente comprou a exchange de criptomoedas japonesa Coincheck na primavera de 2018, logo após a plataforma ter sido hackeada. Mais de US$ 500 milhões em criptomoedas roubadas foram relatados como perdidos.

A Monex permaneceu ativa no espaço de ativos digitais, no ano passado se inscrevendo para ingressar na Libra Association, o consórcio de governança para a planejada stablecoin global do Facebook.

Por Marie Huillet

Deixe um comentário