Ações da Pfizer caem com relato de que empresa corta meta de lançamento da vacina

LinkedIn

As ações da Pfizer (NYSE:PFE) caíram na quinta-feira (03), depois que um relatório disse que a farmacêutica espera enviar metade das vacinas Covid-19 originalmente planejadas para este ano devido a problemas na cadeia de abastecimento.

Segundo o Wall Street Journal, alguns dos primeiros lotes das matérias-primas necessárias para a vacina não atendiam aos padrões. A Pfizer agora planeja enviar 50 milhões de vacinas até o final do ano, abaixo dos 100 milhões originais que esperava enviar.

“Existem vários fatores que impactaram o número de doses estimadas para estar disponíveis em 2020”, disse a Pfizer em um comunicado. “Por um lado, aumentar a escala de uma vacina neste ritmo não tem precedentes e fizemos um progresso significativo à medida que avançamos no desconhecido”.

A empresa disse várias vezes publicamente que planejava enviar 50 milhões de doses de vacina este ano e até 1,3 bilhão de doses até o final de 2021. Ainda assim, as ações da Pfizer caíram mais de 2% nas negociações intraday na quinta-feira, antes de cair mais 1% depois que o relatório foi publicado. Após o pregão, a ação, que tem valor de mercado de US$ 223 bilhões, caía cerca de 1,9%.

CapturadeTela2020-12-03às21.24.48Gráfico candle da PFE – br.advfn.com

O relatório também provocou um sell-off no final do dia no mercado mais amplo .

A Pfizer (BOV:PFIZ34) disse na quinta-feira que a ampliação da cadeia de fornecimento de matéria-prima demorou mais do que o esperado. Também foi atrasado pelos esforços que estava fazendo para produzir vacinas para testes clínicos. A empresa disse que suas linhas de produção em grande escala nos EUA e na Europa agora estão completas e está “confiante” de que será capaz de fornecer as doses desejadas.

As vacinas podem conter conservantes para prevenir a contaminação, água estéril, material genético do vírus e outros ingredientes, de acordo com o Centers for Disease Control and Prevention.

A Pfizer, que tem trabalhado ao lado da farmacêutica alemã BioNTech (NASDAQ:BNTX), solicitou uma autorização de uso emergencial da Food and Drug Administration (FDA) para sua vacina contra o coronavírus em 20 de novembro. Sua vacina usa a tecnologia de RNA mensageiro, ou mRNA. É uma nova abordagem para vacinas que usa material genético para provocar uma resposta imunológica.

A vacina da Pfizer requer uma temperatura de armazenamento de 94 graus Fahrenheit negativos (-70 graus celsius). Em comparação, a Moderna disse que sua vacina permanece estável entre 36 e 46 graus Fahrenheit, a temperatura de uma geladeira doméstica ou médica, por até 30 dias. Ele pode ser armazenado por até seis meses a 4 graus Fahrenheit negativos.

A Federal Aviation Administration (Administração Federal de Aviação) disse que apoiou o “primeiro embarque aéreo em massa” de vacinas na semana passada. A empresa planeja enviar frascos congelados da vacina para pontos de vacinação em Kalamazoo, Michigan, e Puurs, na Bélgica.

A Pfizer anunciou em 22 de julho que os EUA concordaram em comprar 100 milhões de doses de sua vacina por até US$ 1,95 bilhão. O acordo, parte do programa de vacinas da administração Trump, Operation Warp Speed, permite que os EUA adquiram 500 milhões de doses adicionais de vacina.

Na quarta-feira, o Reino Unido foi o primeiro país a autorizar a vacina da Pfizer.

Deixe um comentário