Ouro fecha em queda e promete pior performance em janeiro desde 2011

LinkedIn

Os contratos futuros de ouro caminham nesta quinta-feira para encerrar o mês com o pior desempenho para janeiro desde 2011, o ouro perdeu quase 3% no acumulado deste mês.

O ouro para fevereiro fechou em queda de 0,37%, cotado a US$ 1.837,90 a onça-troy.

Os investidores do metal só reagiram hoje à decisão do Federal Reserve sobre juros, sem que Jerome Powell sinalizasse mais estímulos monetários. “Parece que o mercado estava esperando um Fed mais dovish”, disse à Bloomberg Giovanni Staunovo, analista do UBS Group AG. Os investidores estão preferindo o dólar ao metal como porto seguro.

O Fed disse que o ritmo de recuperação da atividade econômica e do emprego nos EUA se moderou nos últimos meses, mas manteve inalteradas as principais taxas de juros e as compras mensais de títulos.

O dólar pairou perto da maior alta de uma semana na sessão anterior, após uma forte venda em Wall Street na quarta-feira e com as ações europeias atingindo a mínima de um mês nas negociações do início do dia.

“Se você tiver um declínio acentuado nas ações, você esperaria que o ouro caísse com ele … o que significa que muitas vezes as pessoas que estão olhando para a possibilidade de chamadas de margem levantam dinheiro vendendo suas participações em ouro”, disse Rhona, analista da StoneX O’Connell.

O atraso em um acordo de US$ 1,9 trilhão de estímulo ao coronavírus, que não recebeu um sinal verde dos republicanos, pesou ainda mais no ouro.

“Talvez (os participantes do mercado) estejam esperando um pouco mais para ver se o ouro pode recuperar a média móvel de 200 dias ou, se vai cair ainda mais para $ 1.800, o que deve ser uma oportunidade de compra bastante atraente”, acrescentou Briesemann do Commerzbank.

A prata subiu 0,1%, para US$ 25,26 a onça, enquanto a platina caiu 0,1%, para US$ 1.064,39. O paládio caiu 0,2% para US$ 2.300,04 depois de atingir seu nível mais baixo desde 21 de dezembro no início da sessão.

Deixe um comentário