Ouro para fevereiro fecha estável cotado a US$ 1.865,90 a onça-troy

LinkedIn

Os preços do ouro diminuíram de uma alta de duas semanas nesta quinta-feira, com os investidores registrando algum lucro após uma recuperação na sessão anterior, enquanto as expectativas de mais estímulos e um dólar americano mais fraco limitaram as perdas.

O ouro à vista caiu 0,3%, para US$ 1.865,43 por onça, após atingir seu maior valor desde 8 de janeiro, a US$ 1.874,86.

Os futuros de ouro dos EUA permaneceram estáveis ​​em -0,03%, cotado a US$ 1.865,90 a onça-troy.

Joe Biden foi empossado como presidente dos Estados Unidos na quarta-feira, com os mercados se concentrando em seu pacote de estímulo proposto para o coronavírus de US$ 1,9 trilhão, que exigirá a aprovação de um Congresso dividido. O ouro é visto como uma proteção contra a inflação e a desvalorização da moeda, o que pode ser causado pelas massivas medidas de estímulo.

Resta saber se o estímulo passará por ambas as casas do Congresso tão rapidamente quanto as expectativas de Biden e “essa é provavelmente uma das razões pelas quais o ouro não está crescendo muito”, disse a analista da StoneX, Rhona O’Connell.

O dólar, por outro lado, caiu para uma baixa de uma semana em relação aos principais rivais, tornando o ouro denominado em dólar mais barato para os investidores que detêm outras moedas. Enquanto isso, o número de americanos entrando com novos pedidos de seguro-desemprego diminuiu modestamente na semana passada.

A prata spot caiu 0,1% para US$ 25,77 por onça, a platina subiu 2,5% para US$ 1.136,82, enquanto o paládio subiu 0,3% para US$ 2.378,16.

Deixe um comentário