Dólar fecha em alta de 1,473% a R$ 5,4493

LinkedIn

O dólar comercial fechou essa quinta-feira, em alta de 1,473  sendo cotado a R$ 5,4493 para venda e a R$ 5,4488 para compra, depois de encerrar janeiro com valorização de 5,37%, no quarto dia de fevereiro o dólar valorizou 1,761%.

A inesperada queda dos pedidos de auxílio desemprego nos EUA reanimou os mercados em NY e impulsionou o dólar ante o euro (-0,57%, US$ 1,1966), com as perspectivas mais sombrias para a economia da Europa, e também ante a maioria das moedas emergentes.

Aqui, os comentários nas mesas foram de que a reação mais negativa do real ao fortalecimento global do dólar evidencia a falta de “colchão” à moeda brasileira diante dos juros reais negativos e reforça o debate sobre o esperado processo de normalização da política monetária pelo Banco Central.

Além disso, no pano de fundo o mercado tem analisado a ausência de falas mais explícitas sobre cortes de gastos por parte das novas lideranças do Congresso, embora a leitura geral seja de que eventuais novas despesas viriam acompanhadas de contrapartidas fiscais.

O dólar ganhava contra 29 de seus 33 principais rivais. O índice da moeda dos EUA bateu máximas em dois meses. Enquanto isso, as bolsas de valores em Wall Street subiam cerca de 0,9% no fim da tarde.

Aqui, a moeda norte-americana encerrou em alta, na mínima, o dólar chegou a R$ 5,3525 e na máxima de R$ 5,4548.

Às 17h15 o dólar futuro de fevereiro (BMF:DOLG21) estava sendo negociado em alta de 1,7% a R$ 5,4442 para compra e R$5,446 para venda.

Acompanhe o desempenho do dólar no ultimo mês.

Acompanhe as altas e baixas do dólar nos últimos dias:

Data Compra Venda Variação Variação
01/02/2021 5,4483 5,4498 -0,451% -0,0247
02/02/2021  5,3538  5,3548 -1,743% -0,094
03/02/2021 5,3692 5,3702 0,288% 0,0154
04/02/2021  5,4488 5,4493 0,0791 0,0791

💵 Está pensando em viajar? Faça a conversão de moedas gratuitamente!

🇧🇷 – US$ 1 = R$ 5,44
🇪🇺 – US$ 1 = €$ 0,83
🇬🇧 – US$ 1 = £$ 0,73

Acompanhe como foi a evolução do dólar nos últimos seis meses:

Gráficos GRATUITOS na br.advfn.com

 (Com informações da Reuters)

Deixe um comentário