ETF

B3 inicia a negociação do primeiro ETF Internacional de empresas de tecnologia

LinkedIn

A B3 passa a negociar a partir de hoje, o oitavo ETF Internacional listado na bolsa do brasil e primeiro atrelado a um índice de tecnologia. Com o código de negociação (BOV:TECK11), o produto seguirá o índice NYSE FANG+™, que possui em sua composição Facebook, Apple, Amazon, Netflix, Google, Alibaba, Baidu, NVIDIA, Tesla e Twitter.

O produto é gerido pela Itaú Asset Management e tem suas cotas negociadas na B3 de forma semelhante às ações. Porém, ao adquirir tais cotas, o investidor, passa a deter, todos os ativos que compõem a carteira teórica do NYSE FANG+™. Dessa forma, o TECK11 proporciona eficiência aos investidores que buscam diversificação no setor.

Para Rogério Santana, diretor de Relacionamento com Clientes da B3, os ETFs oferecem diversas vantagens aos investidores, tais como liquidez, uma vez que podem ser negociados em bolsa, sendo comprados e vendidos como se fossem uma ação. “Além disso, a diversificação que o produto promove deve ser levada em consideração. Os ETFs possibilitam que o investidor compre, com apenas uma transação, uma carteira variada de ativos. A transparência também é um diferencial já que possui divulgação diária da composição da carteira do índice e formação de preço em bolsa”, explica Santana.

“A Itaú Asset tem uma longa tradição na elaboração de ETFs inovadores e que atendem as demandas de nossos investidores. Esses fundos de índices negociados em bolsas de valores são instrumentos que atraem pela simplicidade no processo de alocação, e pela diversificação que podem proporcionar à carteira de investimentos. No TECK11, conseguimos desenhar um único fundo que investe em grandes empresas presentes no nosso dia a dia, e ainda com exposição à variação cambial. Tudo isso com aplicação mínima inferior a R$100,00”, explica Renato Eid, Head de estratégia beta e integração ESG da Itaú Asset

(Com informações da B3)

Deixe um comentário