Entregas de aviões aumentam e vendas da Boeing (BA, BOEI34) novamente superam cancelamentos

LinkedIn

As vendas de aeronaves da Boeing (NYSE:BA) em março ultrapassaram os cancelamentos pelo segundo mês consecutivo, já que algumas companhias aéreas voltaram sua atenção para a recuperação da indústria de viagens.

O fabricante anunciou na terça-feira (13) pedidos brutos de quase 200 de suas aeronaves 737 Max, incluindo uma venda de 100 aviões para a Southwest Airlines. Contabilizando cancelamentos, conversões e outras alterações de pedidos, ela registrou pedidos líquidos positivos de 40 aviões.

A carteira de pedidos da Boeing era de 4.054 aviões no final do mês passado, ante 4.041 no final de fevereiro.

As entregas em março totalizaram 29 aeronaves, incluindo dois 787 Dreamliners para a United Airlines. A Boeing retomou a entrega dos Dreamliners aos clientes no final do mês passado, um processo que foi interrompido no ano passado após detectar problemas de produção.

Isso é mais do que 22 entregas em março e uma boa notícia para a gigante aeroespacial. A maior parte do preço de uma aeronave é paga no momento da entrega e a empresa ainda está lutando contra o impacto da pandemia sobre a demanda de aviões a jato e o encalhe de 20 meses de seu avião 737 Max.

Na semana passada, as companhias aéreas suspenderam temporariamente mais de 60 aviões Max depois que a Boeing sinalizou um problema de fabricação que poderia impactar uma unidade de energia reserva.

As ações da Boeing (BA) estão em alta de 0,9% nas negociações de terça-feira, a US$ 251,60.

A Boeing também é negociada na B3 através da BDR (BOV:BOEI34).

As ações BOEI34 estão em alta de 0,6% na terça-feira, a um último preço de R$ 1.436,00.

Deixe um comentário