Kora Saúde adia IPO e controlador injetará recursos

LinkedIn

A Kora Saúde, um dos maiores grupos hospitalares privados do país, acaba de adiar seu IPO, cujo pricing estava previsto para hoje, em meio à falta de interesse de investidores internacionais e pressão por descontos, segundo informações do Brazil Journal.

A oferta da Kora deverá ser suspensa por pelo menos 60 dias.

A companhia (BOV:KRSA3) de origem capixaba pretendia captar cerca de R$ 1,67 bilhão numa oferta primária.

Os coordenadores da oferta eram Itaú BBA, JPMorgan, Bradesco BBI, Santander, XP e UBS BB.

A faixa indicativa de preço era de R$ 11,20 a R$ 15,50 — um múltiplo de 17x a 21x EV/EBITDA 2021.

Dona de 11 hospitais no Espírito Santo, Tocantins, Brasília e Mato Grosso, a Kora decidiu não aceitar os descontos e optou por aguardar uma janela de mercado mais favorável.

Pelo menos quatro investidores haviam se comprometido com ordens relevantes no piso da faixa: Indie Capital, Fourth Sail, Safari Capital e Newfoundland Capital.

A HIG Capital — a gestora global que administra US$ 44 bilhões em private equity e tem 75% da empresa — fará um aumento de capital de pelo menos R$ 200m-300m nas próximas semanas para continuar suportando o plano de crescimento da empresa, pessoas a par do assunto disseram ao Brazil Journal.

Desde que a HIG investiu na Kora em 2018, a companhia tem focado em comprar hospitais de excelência para o padrão de cada capital, sempre fora do eixo Rio-São Paulo, onde a concorrência é mais brutal. No Espirito Santo, a empresa fechou o mercado com a Rede Meridional, dona de 7 hospitais na Grande Vitória.

 

Deixe um comentário