Maior processador de pagamento de criptomoeda do mundo, o Coinpayments, anuncia operações no Brasil

LinkedIn

O mais antigo e maior processador de pagamento de criptomoeda do mundo, o Coinpayments, anunciou operações no Brasil e a contratação de Rubens Neistein, como Country Business Manager no país.

O Coinpayments, fundado em 2013, já operacionalizou mais de US$ 10 bilhões em transações totais até o momento, e suporta mais de 2.000 moedas.

“Serei responsável pelo desenvolvimento de negócios e parcerias estratégicas, através da experiência de mais de 8 anos da robusta plataforma CoinPayments, para ajudar o mercado brasileiro a se integrar de forma segura, simples e eficiente ao sistema global de pagamentos em Criptomoedas”, publicou Neistein em sua conta no Linkedin.

Recentemente a empresa de pesquisa de tecnologia D-Core divulgou sua última análise revisando o futuro do cenário de criptomoedas.

O relatório da D-Core entrevistou 161 especialistas, perguntando-lhes: “Qual processador de criptomoedas estará definitivamente operando em cinco anos?” Dos pesquisados, 37% escolheram CoinPayments, dando-lhe o primeiro lugar.

Os outros processadores de pagamento incluídos no relatório foram Bitpay (29%), BTCpay (19%), SpicePay (13%), CoinGate (1%), entre outros.

“É ótimo ser reconhecido como um dos principais processadores de criptografia de pagamentos entre os especialistas do setor”, observou Jason Butcher , CEO da CoinPayments. “Desde 2013, nosso objetivo sempre foi fomentar a adoção da criptografia e a maneira mais eficaz de dar aos ativos digitais o seu devido lugar como meio de troca é permitir que empresas e consumidores os usem para as compras diárias.”

Visa também aceita Bitcoin

O CEO da Visa, Al Kelly, afirmou que a empresa está planejando integrar a compra de bitcoin (BTC) através de seus serviços financeiros.

Além disso, pagamentos com a criptomoeda através de conversões para moedas fiduciárias também estão em seus planos. A empresa já anunciou a integração da stablecoin USDC em seu sistema.

“Estamos tentando fazer duas coisas. Uma é permitir a compra de bitcoins com credenciais Visa. A outra é trabalhar com carteiras de bitcoin para permitir que a criptomoeda seja convertida em moeda fiduciária e, portanto, possa ser usada imediatamente em qualquer um dos 70 milhões de lugares ao redor do mundo onde a Visa é aceita”, disse Kelly.

O CEO da Visa afirmou que ele divide o universo de criptomoedas em dois. Uma parte seria de ativos muito especulativos, que é onde estaria o bitcoin, o “ouro digital” segundo Kelly. A outra categoria seria efetivamente de verdadeiras moedas digitais, dedicadas a trocas e transações virtuais.

“Vemos um grande potencial nessas moedas de realmente se tornarem um novo meio de pagamento”, disse.

Por Cassio Gusson

Deixe um comentário