Taxa de desemprego cai para 2,6% em março no Japão

LinkedIn

A taxa de desemprego no Japão ficou em 2,6% em março, em comparação com 2,9% no mês anterior, disse o Departamento de Estatísticas na noite desta quinta-feira (29) — sexta-feira no horário local —, já que o mercado de trabalho do país permanece relativamente estável, apesar da pandemia do novo coronavírus. A taxa de desemprego era de 2,4% antes da crise do coronavírus.

No mês, o país emergiu em um estado de emergência por causa da covid-19, que restringiu os jantares e bares noturnos nas regiões metropolitanas do país de 8 de janeiro a 21 de março. Mas tais restrições não resultaram em grandes perdas de empregos, até agora, graças a um programa do governo que fornece subsídios às empresas para manter seus empregados. O programa será reduzido a partir de maio, cobrindo apenas até 90%, em vez de 100%, dos benefícios aos empregados.

As perdas de empregos têm se concentrado entre trabalhadores não regulares e empresas de atendimento ao cliente, como restaurantes e hotéis.

A economia do Japão deve ter encolhido 1,6%, ou um ritmo anualizado de 6,1%, no primeiro trimestre de janeiro a março, de acordo com uma pesquisa de analistas conduzida pelo Centro de Pesquisa Econômica do Japão. A economia deve voltar a crescer no trimestre abril-junho.

O mercado de trabalho também vem se recuperando em outros países, embora ainda seja mais fraco do que antes da crise da covid-19. Nos EUA, a taxa de desemprego em março foi de 6,0%, ante 6,2% em fevereiro, mas acima dos 4,4% do ano anterior.

Em dados divulgados separadamente sobre a disponibilidade de empregos no Japão, a proporção de vagas abertas para candidatos ficou em 1,10 em março, contra 1,09 em fevereiro. Uma leitura acima de 1 indica que há mais vagas disponíveis do que pessoas à procura de emprego.

(Por Nikkei)

Deixe um comentário