BNDESPar aprova regras para vendas de Units da Copel

LinkedIn

O Conselho de Administração do BNDES Participações definiu que a venda de sua participação na Companhia Copel se dará por meio de oferta pública secundária de Units, mediante registro na U.S. Securities and Exchange Commission. A oferta será coordenada pelo banco BTG Pactual.

O fato relevante foi feito pela companhia (BOV:CPLE3) (BOV:CPLE6), nesta quarta-feira (12).Confira o comunicado na íntegra. 

O BNDESPar possui participação de 24% na Copel, e no final do ano passado, já havia anunciado sua intenção de se desfazer dos ativos.

Além disso, o lote base da oferta será de até 78.811.022 Units, o equivalente a até 14,4% do capital social total da Copel, e o lote adicional será de até 15.762.205 Units, ou 2,9%, totalizando 94.573.227 Units, ou 17,3% do capital.
A oferta prevê, ainda, a venda de 28.992.446 Units detidas pelo Estado do Paraná e 49.818.576 Units de titularidade do BNDESPar. O lote adicional será composto integralmente por Units do BNDESPar.

Em comunicado ao mercado, a empresa informou que os acionistas vendedores ficarão impedidos de negociar Units ou ações da Copel por um prazo mínimo de 180 dias após o encerramento da oferta.

Copel (CPLE6): lucro líquido de R$ 795,2 milhões no primeiro trimestre, alta de 55,6%

A Companhia Paranaense de Energia (Copel) reportou lucro líquido atribuível aos sócios da companhia de R$ 785,8 milhões no primeiro trimestre, um aumento de 53,2% ante os R$ 512,3 milhões em igual período do ano passado. O lucro consolidado chegou a R$ 795,2 milhões, alta de 55,6% no mesmo período de comparação.

O crescimento, segundo a empresa, reflete a maior receita operacional líquida, a equivalência patrimonial e o acréscimo do resultado financeiro.

Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – ficou em R$ 1,3 bilhão, alta de 18,8% sobre janeiro a março de 2020. Já a receita operacional líquida acumulada até março de 2021 somou R$ 4,985 bilhões, alta de 22,6% sobre o mesmo período do ano passado.

receita líquida avançou 22,6%, para R$ 4,98 bilhões, no comparativo anual —, a equivalência patrimonial e o acréscimo do resultado financeiro, compensado pelo aumento nos custos e despesas operacionais, decorrente, principalmente, dos custos relativos à alta do dólar, que afetou a compra de energia de Itaipu, e do despacho térmico fora da ordem de mérito que elevou os encargos do sistema.

A geração de energia nos primeiros três meses do ano, incluindo parques eólicos, foi de 5.410 GWh, contra 2.475 GWh no mesmo período de 2020.

De acordo com a Copel, essa diferença demonstra uma recuperação nos níveis dos reservatórios em relação a 2020, quando um longo período de estiagem atingiu a região Sul do País.

(informação Broadcost)

Deixe um comentário