Mercados avançam com a melhora do sentimento do investidor mundial

LinkedIn

ÁSIA: As bolsas na Ásia fecharam em alta nesta terça-feira, seguindo a valorização em Wall Street na terça-feira, com os temores de inflação diminuindo e os investidores recuperando o apetite por riscos.

Na China Continental, as bolsas lideraram os ganhos regionais, com o composto de Xangai subindo 2,4% para 3.581,34 pontos, enquanto o Shenzhen Component avançou 2,34% para 14.846,45 pontos.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng saltou 1,82%. As ações da fabricante chinesa de smartphones Xiaomi listadas em Hong Kong subiram 3,94% após o FTSE Russell anunciar na segunda-feira que a empresa será reincluída em seus índices. No início de maio, os EUA removeram a Xiaomi de uma lista negra que impedia os americanos de investir na empresa. As ações de outras empresas chinesas de tecnologia listadas em Hong Kong também fecharam em alta, com a Tencent subindo 4,44%, enquanto a Alibaba subiu 0,78%.

Taiex de Taiwan também obteve ganhos robustos, subindo 1,58% para fechar em 16.595,67 pontos.

No Japão, o Nikkei subiu 0,67% para fechar em 28.553,98 pontos, enquanto o índice Topix avançou 0,34% para encerrar o dia de negociação em 1.919,52 pontos.

O Kospi da Coreia do Sul subiu 0,86%, fechando em 3.171,32 pontos.

O S & P / ASX 200 na Austrália fechou em alta de 0,98% em 7.115,20 pontos, subindo pelo quarto dia consecutivo, com uma recuperação do setor de mineração, mesmo com os preços do minério de ferro caindo abaixo de US$ 200 a tonelada e ganhos dos principais bancos do país. BHP subiu 1,3%, para US$ 47,48, a Rio Tinto adicionou 1,6%, para US$ 121,45 e a Fortescue Metals avançou 1,6%, a US$ 21,72. Entre as produtoras de petróleo, Woodside Petroleum subiu 0,6%, mas Santos caiu 0,6%.

O índice da MSCI para a Ásia-Pacífico exceto Japão saltou 1,52%.

No sudeste da Ásia, a economia de Cingapura expandiu 1,3% com relação ao ano anterior no primeiro trimestre, mostraram dados do Ministério do Comércio e Indústria divulgados na terça-feira. O ministério também anunciou que manteria a previsão de crescimento do PIB de Cingapura para 2021 em 4 a 6%.

EUROPA: As bolsas europeias avançaram na manhã de terça-feira, com o alívio dos temores de inflação elevando o sentimento do mercado global.

O índice pan-europeu Stoxx 60 superou o recorde de alta registrado no início de maio no início das negociações desta terça-feira, com o foco do investidor europeu cada vez mais voltado para o alívio das restrições à pandemia do COVID-19.

O DAX da Alemanha sobe 0,77% e é destaque entre os principais mercados, renovando o recorde histórico, impulsionado por um acordo de US$ 22 bilhões entre dois gigantes imobiliários. A última pesquisa de sentimento de negócios do Ifo da Alemanha mostrou que a expectativa dos negócios subiu para 99,2 em maio, ante 96,6 de abril, uma alta de dois anos. As expectativas eram que o índice chegasse a 98 pontos, no entanto, o PIB alemão encolheu mais do que o esperado no primeiro trimestre, contraindo 1,8% à medida que as restrições ao coronavírus pesavam sobre os gastos das famílias.

O francês CAC 40 sobe 0,14%, o IBEX 35 da Espanha sobe 0,30%, enquanto o FTSE MIB da Itália avança 0,41%.

Em Londres, o FTSE 100 sobe 0,06%. As mineradoras listadas na LSE recuam. Anglo American cai 0,5%, Antofagasta recua 0,4%, BHP cai 0,1%, Rio Tinto perde 0,3%. Entre as gigantes do petróleo, BP cai 0,2% e Royal Dutch Shell recua 0,8%.

Analistas observaram que as forças macro que moldam os mercados permaneceram em grande parte inalteradas, com o foco na Europa cada vez mais se voltando para as medidas de alivio das restrições para o COVID-19, mas o nervosismo com a inflação continua a diminuir entre os investidores por enquanto, com as expectativas de futuros aumentos dos juros pelo Fed ao longo de 2021 e 2022 recuando ligeiramente ontem após a leitura do índice de preços ao consumidor dos EUA para abril.

Ontem, o Banco da Inglaterra apontou que os aumentos atuais dos preços são transitórios e restritos. Economistas e autoridades de bancos centrais apoiam claramente a ideia de “não entre em pânico”.

O comércio do Reino Unido com a União Europeia despenca no primeiro trimestre após o Brexit. As exportações britânicas de bens contraíram 18% com a União Europeia, e as importações caíram 22%. O comércio do Reino Unido com o resto do mundo pouco alterou, com as exportações subindo 0,4% enquanto as importações caíram 0,9%. No primeiro trimestre desde que os dados começaram a ser tabulados em 1998, as importações de países não-UE superavam a dos países da UE. A agência de estatísticas advertiu que era muito cedo para tirar conclusões mais profundas. “Com apenas um quarto dos dados disponíveis e a pandemia e recessão em curso, é muito cedo para avaliar até que ponto isso reflete a interrupção comercial de curto prazo ou ajustes na cadeia de suprimentos a longo prazo”, disse o ONS.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA sobem nas negociações matinais de terça-feira, após alta em Wall Street liderada por ações de tecnologia e de ações ligadas à reabertura dos mercados, à medida que os casos da Covid caem para seu nível mais baixo desde junho nos EUA.

Segundo analistas, as evidências de que os temores de inflação estavam acalmando nos mercados de títulos e commodities começaram a impulsionar o mercado de ações no final da semana passada. Ações de crescimento, incluindo tecnologia, tentam recuperação, à medida que os temores nos rendimentos dos títulos e inflação diminuem.

Na segunda-feira, o presidente do St. Louis Federal Reserve Bank, James Bullard, disse ao Yahoo Finance que o aumento da inflação “não era uma surpresa” e que não era hora de repensar a política monetária. Autoridades do Fed disseram anteriormente que a economia dos EUA poderia “aquecer”, com a inflação acima da meta de 2% do banco central, para garantir que uma recuperação seja estabelecida. “Acho que chegará um momento em que poderemos falar mais sobre a mudança dos parâmetros da política monetária”, disse Bullard. “Não acho que devemos fazer isso enquanto ainda estamos na pandemia.”

Os principais índices subiram na segunda-feira. O Dow Jones Industrial Average subiu 186 pontos, alta de 0,54%, ajudado por ganhos da Microsoft, Salesforce e Cisco. O S&P 500 subiu 0,99% e está a menos de 1% de sua alta recorde de fechamento de todos os tempos vista no início do mês, e um aumento de 3,30% desde sua recente baixa em 12 de maio. O Nasdaq Composite saltou 1,41% com Facebook, Amazon, Apple, Netflix e Alphabet, dona da Google, postando ganhos.

O Russell 2000 que agrupa “small caps” subiu 0,68%.

Na agenda econômica, está prevista a divulgação do CB Consumer Confidence, vendas de novas residências e o índice de manufatura do Fed de Richmond às 11h00.

A recente queda do Bitcoin também estabilizou na segunda-feira. A criptomoeda caiu para menos de $ 32.000 no domingo, mas conseguiu recuperar cerca de 17%, para $ 39.000 na segunda-feira, de acordo com a Coin Metrics.

ÍNDICES FUTUROS – 7h10:
Dow: +0,24%
SP500: +0,31%
NASDAQ: +0,56%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: -0,05%
Brent: -0,50%
WTI: -0,71%
Soja: +0,56%
Ouro: -0,05%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra ou venda de ativos.

Deixe um comentário