Biden revoga e substitui ordens executivas de Trump que baniram o TikTok e WeChat

LinkedIn

O presidente Joe Biden assinou uma ordem executiva na quarta-feira (9) que define critérios para o governo avaliar o risco de aplicativos conectados a adversários estrangeiros, um movimento com implicações para sites de propriedade chinesa como TikTok e WeChat.

Biden revogou e substituiu as três ordens executivas do então presidente Donald Trump que buscavam proibir transações com TikTok e WeChat por empresas americanas. Uma das ordens também buscava proibir o TikTok, resultando em uma prolongada batalha judicial. O TikTok continua disponível e popular nos EUA.

O novo pedido de Biden orientará o Departamento de Comércio a revisar aplicativos vinculados a adversários estrangeiros e estabelecerá o que deve ser considerado um “risco inaceitável”, de acordo com um informativo da Casa Branca. Isso inclui critérios para avaliar transações com aplicativos de software vinculados a um adversário estrangeiro. Enquanto o Comitê para Investimentos Estrangeiros nos Estados Unidos, ou CFIUS, analisa fusões ou investimentos estrangeiros, a ordem cita uma medida anterior de Trump que define transações de forma ampla para incluir instalação ou transferência envolvendo um serviço de tecnologia de comunicações.

O pedido consideraria que as transações envolvem um “risco elevado” quando envolvem aplicativos pertencentes, controlados ou gerenciados por pessoas que dão suporte a militares ou serviços de inteligência adversários estrangeiros ou quando os aplicativos coletam dados pessoais confidenciais.

A ordem também orienta o Departamento de Comércio a trabalhar com outras agências para apresentar recomendações para proteger os dados do consumidor dos EUA de adversários estrangeiros e exige que o departamento recomende ações executivas adicionais e legislação para tratar dos riscos.

Sob a administração anterior, a TikTok permaneceu em uma posição precária enquanto Trump tentava proibir o aplicativo, a menos que fosse vendido para uma empresa americana. O impasse levou Walmart e Microsoft para juntar-se e cortejar o TikTok, embora a empresa fosse com o Oracle como seu “provedor de tecnologia confiável”, e que ficou muito aquém de uma venda completa.

A ascensão de Biden à Casa Branca afetou o acordo e os processos judiciais em andamento entre a TikTok e o governo. Em fevereiro, o The Wall Street Journal informou que o acordo com a Oracle havia sido “arquivado indefinidamente”. A administração Biden pediu ao tribunal para adiar a ação em torno da disputa do governo com a TikTok sobre a proibição, uma vez que analisou a situação. A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, disse na época que uma revisão do TikTok pelo CFIUS estava em andamento.

(Com CNBC)

Deixe um comentário