Aliansce Sonae diz que não atuou como incorporadora do Shopping Parque Dom Pedro

LinkedIn

A Aliansce Sonae Shopping Centers vem informar que a companhia é a administradora do Shopping Parque Dom Pedro e detém, indiretamente, 50,1% das quotas de emissão do Fundo de Investimento Imobiliário Parque Dom Pedro Shopping Center (“Fundo”), conforme reconhecido em suas demonstrações financeiras.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:ALSO3) , nesta quinta-feira (24). Confira o documento na íntegra. 

A BTG Pactual Serviços Financeiros DTVM na qualidade de administradora do Fundo, publicou, em 22 de junho de 2021, Fato Relevante informando que BTG recebeu, da Superintendência de Supervisão de Securitização  da CVM, ofício pelo qual aquela autarquia manifestou entendimento a respeito do enquadramento tributário do Fundo, que a seu ver estaria enquadrado no artigo 2º da Lei nº 9.779, de 19 de janeiro de 1999, uma vez que cotistas titulares de vinte e cinco por cento do Fundo teriam atuado como incorporadores do Shopping, que o Fundo não se enquadra no regime do Art. 2º da Lei 9.779, e que o BTG não tem conhecimento de que a Aliansce Sonae tenha atuado como incorporadora do Shopping e que não recebeu qualquer comunicação da Receita Federal do Brasil a respeito de seu entendimento sobre a situação tributária do Fundo.

Diante disso, a Aliansce Sonae esclarece que não atuou como incorporadora do Shopping,  não tem conhecimento de qualquer informação que levasse à alteração do tratamento tributário do Fundo,  dada sua qualidade de pessoa jurídica, não se beneficia de isenção ou outra vantagem tributária sobre a distribuição de resultados do Fundo e  até esta data não recebeu qualquer comunicação da Comissão de Valores Mobiliários ou da Receita Federal do Brasil sobre o assunto.

A Aliansce Sonae manterá os acionistas e o mercado informados caso tenha ciência de eventual evolução relativa ao tema deste comunicado.

Queda de 59,6% do lucro líquido no 1T21, para R$ 41,8 milhões

lucro líquido atribuível aos sócios controladores da Aliansce Sonae caiu 59,6% no primeiro trimestre de 2021, para R$ 41,8 milhões no mesmo período.

receita líquida chegou a R$ 197 milhões, queda de 14,1% no comparativo anual.

ebtida – lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação – registrou retração de 14,1%, para R$ 197 milhões, devido ao resultado operacional que foi afetado pela nova onda de fechamentos e restrições de funcionamento nos shoppings.

A companhia informou que durante o primeiro trimestre, o Brasil enfrentou um novo agravamento da crise de covid-19 e, consequentemente, seu portfólio de shoppings passou por uma nova onda de fechamentos e restrições operacionais.

Deixe um comentário