Ministério do Comércio do Irã emite 30 licenças de mineração de criptomoedas

LinkedIn

O Ministério das Indústrias, Mineração e Comércio do Irã emitiu licenças de operação para 30 centros de mineração de criptomoedas  no país, informou o Financial Tribune do país na última quarta-feira (23).

Citando dados do site do ministério, o relatório diz que a província de Semnan do Irã recebeu a maioria das licenças, com seis fazendas de mineração de criptomoedas agora autorizadas a operar na região. A província de Alborz garantiu quatro dessas licenças, seguida pelas províncias de Mazandaran, Azarbaijão Oriental e Zanjan. A província de Teerã, que abriga a capital do país, teria recebido apenas uma licença para operar um centro de mineração de criptomoedas.

O ministério também emitiu 2.579 licenças de estabelecimento para novas unidades industriais de mineração de criptomoedas em todo o país, sendo 305 delas garantidas pela província de Zanjan. A província de Fars e o Azerbaijão Ocidental seguem Zanjan, com 262 e 247 autorizações, respectivamente.

De acordo com o relatório, uma licença operacional é obrigatória para as empresas iranianas iniciarem um negócio legalizado de mineração de criptomoedas. Os candidatos elegíveis devem adquirir licenças de estabelecimento e instalar a sua unidade industrial no prazo de 12 meses e, em seguida, solicitar a licença de funcionamento.

O relatório observa que a mineração de criptomoedas é legal no Irã, já que os mineradores estão autorizados a operar sob regras aprovadas pelo governo em julho de 2019. Apesar do status legal da mineração de criptomoedas no Irã, o governo está lutando ativamente contra os mineradores ilegais devido à crescente pressão sobre a rede elétrica nacional. De acordo com o relatório, as empresas autorizadas de mineração de criptomoedas são obrigadas a pagar custos de energia muito mais altos para a mineração de criptomoedas como Bitcoin (BTC) do que os clientes residenciais ou outros clientes comerciais.

A notícia veio depois que o presidente iraniano, Hassan Rouhani, anunciou no final de maio uma proibição geral da mineração de Bitcoin no país até setembro como uma medida para aliviar a pressão na rede elétrica nacional. Posteriormente, na última terça-feira (22), a polícia provincial iraniana confiscou mais de 7.000 rigs de mineração em uma fazenda operando na capital Teerã. A fazenda de mineração de criptomoedas foi referida como o maior e mais significativo dreno no uso de energia do país.

De acordo com a Companhia de Geração, Distribuição e Transmissão de Energia do Irã, mais de 188.000 unidades de equipamentos de mineração de criptomoedas foram apreendidos nos últimos 12 meses. Esses dispositivos supostamente resultaram em 180 trilhões de riais (R$ 20,7 bilhões) em perdas para a rede nacional e equipamentos de distribuição de energia.

Por Helen Partz

Deixe um comentário