Confira os Indicadores Econômicos desta segunda-feira (19/07/2021) - IPC-Fipe, Boletim Focus e Balança Comercial…

LinkedIn

Confira os principais indicadores econômicos de hoje, em destaque os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) revisaram a previsão da taxa básica de juros ao fim deste ano em alta pela segunda semana seguida, passando de 6,63% para 6,75%.

Brasil

  • IPC-Fipe subiu 0,87% na segunda quadrissemana de julho

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação na cidade de São Paulo, subiu 0,87% na segunda quadrissemana de julho, após ter registrado ganho de 0,86% na primeira quadrissemana deste mês, segundo dados publicados nesta segunda-feira pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Na segunda leitura de julho, quatro dos sete componentes do IPC-Fipe ganharam força: Alimentação (de 0,40% na primeira quadrissemana para 0,81% na segunda quadrissemana); Educação (de 0,24% para 0,28%); Saúde (de 0,64% para 0,65%); e Vestuário (de 0,51% para 0,55%).

Já os demais itens avançaram de forma mais contida de uma quadrissemana para a outra: Habitação (de 1,37% para 1,20%); Transportes (de 0,93% para 0,72%); e Despesas Pessoais (de 0,90% para 0,78%).

  • Boletim Focus: Previsão de alta da Selic em 2021 sobe de 6,63% para 6,75%

Os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) revisaram a previsão da taxa básica de juros ao fim deste ano em alta pela segunda semana seguida, passando de 6,63% para 6,75%. Há um mês, a projeção para a taxa Selic ao fim de 2021 era de 6,50% ao ano.

Para 2022, a previsão para a Selic foi mantida em 7,00% ao ano, depois de duas revisões seguidas em alta. Há um mês, a projeção para a taxa Selic ao fim de 2022 era de 6,50% ao ano. No que se refere a 2023 e 2024, a previsão para o juro básico foi mantida em 6,50% cada, há 16 e 12 semanas, respectivamente.

Enquanto isso, a projeção para o Indice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ao final deste ano foi elevada pela décima-quinta vez seguida, passando de 6,11% para 6,31%. Há um mês, a projeção era de +5,90%. Para 2022, a projeção foi mantida em 3,75%, de 3,78% há um mês. Para 2023, a previsão é mantida em 3,25% há 53 semanas. Já em relação a 2024, a estimativa foi cortada pela segunda semana seguida, de 3,16% para 3,06%.

  • Superavit comercial é de US$ 2,036 bilhões na semana encerrada em 18 de julho

O Brasil teve superávit comercial de US$ 2,036 bilhões na semana encerrada em 18 de julho, resultado de US$ 6,3 bilhões em exportações e de US$ 4,2 bilhões em importações – o que representa médias diárias de, respectivamente, US$ 1,3 bilhão e US$ 847,8 milhões -, de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Economia. A corrente de comércio no período foi de US$ 10,5 bilhões.

“No acumulado de julho até dia 18, o superávit comercial somou US$ 5,06 bilhões, reflexo de US$ 14,549 bilhões em exportações e de US$ 9,489 bilhões em importações.

Do início de janeiro até 18 de julho, a balança comercial brasileira teve saldo positivo de US$ 41,8 bilhões, ante superávit de US$ 29,9 bilhões no mesmo intervalo do ano anterior. As exportações aumentaram 25,3% na mesma base de comparação, para US$ 150,4 bilhões, enquanto as importações subiram 20,4%, para US$ 108,6 bilhões. A corrente de comércio teve alta de 23,2%, para US$ 259,1 bilhões.”

Estados Unidos

  • Índice de confiança das construtoras de moradias dos EUA caiu para 80 pontos em julho

O índice de confiança das construtoras de moradias dos Estados Unidos, medido pela Associação Nacional de Construtores (NAHB) e pelo banco Wells Fargo, caiu para 80 pontos em julho, após marcar 81 pontos em junho. A previsão era de 81 pontos.

O componente que mede as condições atuais de vendas recuou de 87 para 86 pontos. O subíndice que mede o tráfego de compradores potenciais caiu de 71 para 65 pontos, enquanto o subíndice que mede a expectativa de vendas para os próximos seis meses teve alta de 79 para 81 pontos.

O índice de confiança no mercado de imóveis é calculado a partir de uma pesquisa com as construtoras sobre as condições atuais e de curto prazo do setor. Um valor acima de 50 indica que mais integrantes da pesquisa consideram as condições de vendas “boas”, em vez de “fracas”. O resultado é ajustado sazonalmente.

Ásia

=> Os resultados de indicadores dos países asiáticos saem após o encerramento das negociações das Bolsas ocidentais, em virtude do fuso horário, portanto, apenas  disponíveis no próximo dia, aguarde para mais atualizações…

Deixe um comentário