Quase metade da população de Cingapura possui criptomoedas

LinkedIn

Uma nova pesquisa realizada pelo Independent Reserve revelou que 43% dos residentes de Cingapura possuem criptomoedas. 46% afirmaram que comprariam mais moedas virtuais no próximo ano.

A bolsa australiana Independent Reserve (IRCI) entrevistou 1.000 participantes para determinar o nível de adoção das criptomoedas em Cingapura. Pelas estatísticas, 43% dos habitantes locais já possuem criptomoedas.

Olhando mais de perto, os resultados mostraram que as gerações mais jovens estão especialmente interessadas em Bitcoin e altcoins, cerca de 66% delas responderam que são hodlers. 46% dos participantes disseram que pretendiam entrar no espaço das criptomoedas nos próximos 12 meses.

A conscientização em massa sobre as criptomoedas em Cingapura também está em níveis elevados. 93% dos habitantes locais disseram ter ouvido falar do Bitcoin, que o posicionou indiscutivelmente na primeira posição. 40% descreveram a criptomoeda como um “ativo de investimento”, enquanto 25% opinaram que é um “ouro digital” e uma “reserva de valor”.

Os participantes mais jovens da pesquisa – aqueles entre 26 e 35 anos – estavam entre os maiores defensores das criptomoedas. Cerca de 75% deles acreditam que a classe de ativos em breve será um assunto de adoção institucional em massa.

O CEO da Independent Reserve – Adrian Przelozny – explicou os resultados com o fato de que Cingapura é um “centro importante na Ásia devido a seus mercados financeiros robustos e bem regulamentados, infraestrutura e abertura a novas tecnologias”.

No início de 2021, o banco central de Cingapura opinou que o Bitcoin poderia ter sucesso como reserva de valor se conseguir lidar com questões como sua natureza volátil. O economista-chefe Mansoor Mohi-uddin disse:

“Em primeiro lugar, os investidores precisam de instituições confiáveis ​​para manter moedas digitais com segurança. Em segundo lugar, a liquidez precisa melhorar significativamente para reduzir a volatilidade a níveis administráveis.”

O banco privado de Cingapura OCBC descartou as chances das criptomoedas substituírem as moedas fiduciárias como meio de troca, eventualmente. No entanto, a instituição financeira acredita que o BTC e outras altcoins podem se tornar um substituto para o ouro em termos de reserva de valor.

Por João Victor

Deixe um comentário