CVC Brasil (CVCB3): prejuízo líquido de R$ 175,5 milhões no 2T21, queda de 30,4%

LinkedIn

 A CVC reportou prejuízo líquido de R$ 175,570 milhões no segundo trimestre deste ano, perda 30,4% menor que a registrada um ano antes, de R$ 252,129 milhões. Em comentários da administração que acompanham o informe de resultados, a empresa atribui o desempenho do período aos efeitos produzidos pela pandemia da covid-19 em suas operações, especialmente no Brasil.

“Permanecemos otimistas com os prognósticos para o segundo semestre e início de 2022 e atentos aos eventuais desdobramentos da pandemia”, acrescenta a CVC. No acumulado do semestre, o prejuízo diminuiu de R$ 1,403 bilhão para R$ 257 milhões.

receita líquida ficou em R$ 115,6 milhões no segundo trimestre, ante R$ 3 milhões informado um ano antes. O avanço se deve à retomada das atividades, afirma a companhia, mesmo com a segunda onda de covid tendo impactado o trimestre. No semestre, entretanto, a receita líquida caiu 29,6% no comparativo anual, somando R$ 281,6 milhões.

ebtida – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – ajustado ficou negativo em R$ 130,834 milhões, contra Ebitda também negativo de R$ 164,366 milhões no mesmo período de 2020. No semestre, o Ebitda ajustado ficou negativo em R$ 194,279 milhões, ante R$ 189,769 milhões de um ano antes.

As despesas financeiras da companhia saíram de um saldo negativo de R$ 16,5 milhões para um valor positivo de R$ 35,1 milhões, refletindo ganhos cambiais e na marcação a mercado de derivativos que foram efetivos no segundo trimestre do ano passado.

Tal aumento, porém, foi parcialmente compensado pela redução de despesas com: juros sobre financiamentos em R$ 5,9 milhões, R$ 1,6 milhão em tarifas de boleto, R$ 1,7 milhão em IOF, R$ 2,7 milhões em juros sobre arrendamentos e R$ 8,4 milhões em atualização monetária (principalmente de contingências não materializadas e opções de compras – Ola e Bibam). As receitas financeiras do período apresentaram aumento de R$ 3,6 milhões.

No acumulado do semestre, o resultado financeiro se manteve negativo, passando de R$ 33,7 milhões para R$ 45,6 milhões.

Imposto e contribuição social

Entre abril e junho, o imposto de renda e contribuição social líquida totalizou um crédito de R$ 69,4 milhões, ante um valor negativo de R$ 317,4 milhões registrado um ano antes. O crédito, observa a CVC, se deve ao registro de créditos tributários futuros de IR/CSLL relativos aos prejuízos fiscais apurados no período.

Segundo a companhia, no segundo trimestre de 2020 foram contabilizados Impostos Diferidos de anos anteriores, em função dos riscos de continuidade das operações da companhia existentes naquele período, que foram eliminados com as capitalizações e renegociação de dívidas ocorridas entre setembro 2020 e fevereiro 2021.

Os resultados da CVC Brasil (BOV:CVCB3) referente suas operações do segundo trimestre de 2021 foram divulgados no dia 13/08/2021.

VISÃO DO MERCADO

Ágora Investimentos 

Segundo a Ágora Investimentos, a empresa divulgou resultados mistos, com as reservas com tendência positiva, apesar das medidas de distanciamento social durante o trimestre.

Bradesco BBI 

Na avaliação do Bradesco BBI, os resultados foram mistos com uma tendência mais forte do que o esperado nas reservas, mas por outro lado com uma taxa de aquisição fraca.

Para os analistas, o problema da take rate (percentual da receita liquida sobre as reservas) parece temporário, visto que um dos motivadores foi o embarque de reservas anteriores à Covid que haviam sido adiadas, embora possa haver algum empecilho adicional durante o próximo trimestre.

“Há um impulso positivo por trás das reservas, com crescimento sequencial de 25% (embora de uma base relativamente baixa no primeiro trimestre de 2021) e a CVC observa que as reservas de junho (queda de 50% versus 2019) foram melhores do que o trimestre como um todo (queda de 61%)”, apontam.

Essa queda em relação a 2019 está amplamente em linha com o número de passageiros e a capacidade disponível de
assentos informados pela companhia aérea Gol no segundo trimestre de 2021.

O progresso do plano de vacinação deve ajudar esse impulso positivo a continuar no segundo semestre, embora os riscos claramente ainda permaneçam com o potencial de impactos negativos da nova variante delta.

“Portanto, embora o ímpeto esteja melhorando, a visibilidade permanece limitada e as ações são negociadas a um forte P/L [preço sobre o lucro] de 38 vezes estimado para 2023”, avalia.

Bradesco BBI mantém recomendação neutra, com preço-alvo de R$ 25,00…

BTG Pactual 

Já para o BTG, embora o segundo trimestre tenha sido novamente atingido pelo impacto negativo da Covid-19, a tendência mais fraca do que o esperado pode pesar sobre o papel.

“No entanto, sinalizamos que a maioria desses efeitos devem ser temporários”, acrescenta.

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário