Presidente da Binance e CEO da Circle vão se reunir com o Presidente do Banco Central do Brasil

LinkedIn

O presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, irá se reunir, nesta segunda, 16, com dois dos mais importantes players do mercado global de Bitcoin (BTC) e criptomoedas: o presidente da Binance e o CEO da Circle.

Conforme informado pela agenda oficial de Campos Neto, a reunião será por videoconferência contará com a participação de Cliff Sobel, Sócio e Co-Fundador da Valor Capital Group LLC, Scott Sobel, Sócio e Co-Fundador da Valor Capital Group LLC, Michael Nicklas, Sócio da Valor Capital Group LLC, Presidente do Binance US, Jeremy Allaire, CEO da Circle, Marcos Variato, CEO da Parfin.

Pelo BC, além de Campos Neto, também participará do encontro Rafael Andrezo, ​​Chefe de Gabinete do Presidente do BC.

Na agenda contava a participação de Brian Brooks para representar a Binance US, contudo como Brooks renunciou ao cargo ele deve ser substituído por outro representante da empresa ou até pelo próprio fundador da Binance, Changpeng Zhao, conhecido no universo cripto como CZ.

A reunião teria sido solicitada pelo Valor Capital Group, empresa de investimento em startups que tem em seu portfólio companhias brasileiras e americanas do universo de criptoativos.

Entre as empresa que integram o grupo estão a brasileira Hashdex e algumas das principais empresas do ecossistema de criptomoedas como Basis, Bitso, BlockFi, Celo, Circle, Coinbase, Dapper Labs, ECO, Flow, Ledn, Lemon Cash, Fundido, Parfin e Valora.

Real Digital

Um levantamento revelou que entre os assuntos da reunião os participantes devem falar sobre os planos do Banco Central com relação ao Real Digital e também aspectos regulatórios sobre o ecossistema de criptomoedas no Brasil.

Sobre o Real Digital o que tem chamado a atenção dos empresários teria sido as declarações do BC que a moeda digital brasileira deseja ser uma ponte entre aplicações voltadas a finanças descentralizadas (DeFi) e smart contracts com o sistema financeiro nacional.

Embora o BC ainda não tenha o desenho completo do Real Digital, a instituição já afirmou que a intenção com o CBDC é que ele possa habilitar esses serviços da nova economia digital no sistema econômico nacional habilitando este tipo de funcionalidade para mais pessoas.

“Estes pontos fundamentais do ambiente cripto nós pretendemos trazer para dentro do nosso perímetro regulatório para fazer uma coisa massificada para dar acesso a mais pessoas. Nós pretendemos fazer uma coisa mais padronizada para que as pessoas possam fazer uso no dia a dia. O que a gente quer trazer é as tecnologias dos smart contractas e do Defi para dentro para que a gente possa atingir o público mais amplo”, disse Fabio Araujo, responsável pelo projeto do Real Digital dentro do BC.

Além disso os participantes também estão interessados no ecossistema de criptoativos no Brasil que tem se mostrado promissor na avaliação do grupo devido ao sucesso do ETF de criptomoedas da Hashdex, o HASH11, que é hoje um dos principais produtos negociados na Bolsa de Valores do Brasil, a B3.

Criptomoedas

Campos Neto por sua vez nunca escondeu sua admiração pela tecnologia das criptomoedas e embora nunca tenha tecido declarações públicas sobre a adoção do Bitcoin sempre frisou a importância da blockchain e dos smart contracts para a evolução do sistema financeiro nacional.

Recentemente, Campos Neto declarou que o sistema financeiro é uma rodovia e que as criptomoedas seriam um carro que, depois de fabricado e colocado em circulação, ajudou a melhorar o fluxo da via.

“Regular as criptomoedas é irrelevante. O cripto tem uma coisa muito diferente, porque o network fica cada vez melhor para cada ativo criado na margem. Em uma analogia pobre, é como se cada carro fabricado melhorasse a eficiência da rodovia”, disse.

Reuniões entre o presidente do Banco Central do Brasil e empresas de criptomoedas tem se tornando mais frenquentes desde que Campos Neto assuimiu o BC do Brasil. Mercado Bitcoin, ABCB, ABCripto, entre outras já se reuniram com a autoridade máxima do BC que no ano passado também se reuniu com o presidente da Ripple.

Por Cassio Gusson

Deixe um comentário