‘MiamiCoin' gerou US$ 2.000 a cada 10 minutos para a cidade de Miami, segundo prefeito

LinkedIn

O prefeito de Miami, Francis Suarez, tem celebrado o sucesso de uma iniciativa recente para financiar projetos municipais por meio dos recursos de um protocolo de criptomoedas específico da cidade, desenvolvido sobre a blockchain do Bitcoin.

Em 13 de setembro, os representantes da cidade de Miami votaram para aceitar os fundos gerados por uma nova criptomoeda, MiamiCoin, que foi lançada em agosto pela CityCoins. A moeda é construída em Stacks, uma rede de código aberto de aplicativos descentralizados e contratos inteligentes que usam a blockchain do Bitcoin como uma camada de base programável.

Codificado no protocolo da MiamiCoin está o requisito de que 30% de todas as moedas extraídas sejam encaminhadas para uma carteira digital designada para a cidade. Esses fundos serão destinados a gastos em projetos como projetos para mitigar os riscos da mudança climática, iniciativas de financiamento para comunidades carentes e investimento em criptoeducação para empreendedores de tecnologia.

A Fox Business estimou na semana passada que cerca de US$ 2.500 em Stacks (STX) com seu valor de US$ 1,50 estavam sendo transferidos para a carteira da cidade a cada 10 minutos. Em uma entrevista à Fox na segunda-feira, o prefeito Suarez confirmou o valor aproximado, afirmando que os rendimentos da mineração geraram mais de US$ 2.000 a cada 10 minutos e “mais de 5 milhões de dólares nos últimos 30 dias”.

Ao votar pela aceitação dos recursos arrecadados desde agosto, a Comissão da Cidade de Miami não votou para gastá-los ainda. Em vez disso, aceitou o equivalente em dólares dos Estados Unidos dos rendimentos e os manterá em reserva para futuros gastos municipais. A conversão em moeda fiduciária garante que a cidade não custodie a criptomoeda diretamente. Em sua entrevista à Fox, Suarez disse sobre a iniciativa:

“É interessante porque não é um imposto involuntário, não é filantropia, é algo completamente diferente e pode revolucionar a forma como os governos são financiados no futuro.”

Ele acrescentou: “É teoricamente possível que a cidade gere impostos suficientes por meio da MiamiCoin para que nossos residentes não tenham que pagar um centavo em impostos”.

Outras métricas parecem indicar que Miami tem atraído mais ofertas de empregos de tecnologia durante o verão, de acordo com dados compartilhados por Antonio Delgado, vice-presidente de inovação e parcerias tecnológicas do Miami Dade College:

Além das inúmeras iniciativas do prefeito Suarez, um comissário do condado de Miami-Dade apoiou uma resolução nesta primavera com o objetivo de permitir que os residentes usem criptomoedas como Bitcoin para pagar impostos locais. O prefeito havia proposto uma resolução oficial que faria com que o Bitcoin se tornasse um instrumento de pagamento aceitável em várias partes da administração da cidade em fevereiro. A comissão concordou em estudar a viabilidade da proposta, ao invés de tomar medidas imediatas para implementá-la.

Por Marie Huillet

Deixe um comentário