Ecologia, carros elétricos e mais: as tendências das cidades no futuro e quem ganha com isso

LinkedIn

AS CIDADES MARAVILHOSAS

Ecologia, carros elétricos e mais: as tendências das cidades no futuro e quem ganha com isso

 

Vamos viajar para Liubliana?

— Liu o quê?

Essa é a reação de 90% das pessoas – os outros 10% são agentes de viagem, professores de geografia ou participantes de programas do tipo Show do Milhão, que precisam saber de tudo. Mas Liubliana deveria entrar para o roteiro de investidores também.

Vamos começar de novo. Liubliana, capital da Eslovênia…

— Huh…

Pegue a Itália. A leste fica a Eslovênia. Embaixo da Áustria. Achou? Liubliana fica ali, quase no meio do país, um pouco mais a oeste. Tudo bem?

Parece ser uma cidade como tantas outras na Europa. 272 mil habitantes, com seu castelo medieval e uma mistura de arquitetura alpina, francesa e prédios-caixotes dos tempos soviéticos. Depende de quem influenciava – ou entrouxava goela abaixo – durante sua história. Mesmo assim, ela atrai a atenção de urbanistas, legisladores e investidores.

Liubliana tem uma proposta agressiva de ser sustentável e eliminar sua pegada de carbono e seus poluentes já em 2025. A primeira pergunta é como. A segunda, logo em seguida, é como vamos lucrar com isso.

Para isso, Liubliana começou cedo, em 2007. Foi uma das primeiras cidades a implementar projetos que se espalharam pelo mundo: muita ciclovia, centro da cidade fechado a carros particulares, incentivo a transporte elétrico.

Como qualquer mudança radical, aconteceram protestos. Moradores reclamaram que, com o plano, não conseguiriam ir trabalhar, seus negócios perderiam movimento, pense nos velhinhos com dificuldade de andar.

Talvez o argumento mais esdrúxulo tenha sido aquele que dizia que tudo bem, sustentabilidade e tudo mais, porém, sem carros, a cidade iria parecer falsa, afastando turistas que buscam uma experiência autêntica. Tá. Os primeiros registros conhecidos da cidade datam de 1144. Quer autenticidade, vá buscar os cavalos.

Os resultados você conhece. A população se acostumou a andar a pé, alguns bons resultados de qualidade de vida começaram a aparecer, a cidade recebeu o título de Capital Verde da Europa, o respeitado guia de viagens Lonely Planet colocou o país e sua capital entre os cinco melhores destinos para 2022. E todos imitam essas iniciativas em maior ou menor grau.

E todos querem saber para onde a cidade vai agora. Algumas medidas implantadas recentemente:

  • Aquisição de carros elétricos que a população usa e deixa para o próximo se beneficiar. Aqui, muitos têm dúvidas. Uma coisa são 270 mil habitantes, outra coisa são os dois milhões de Paris e outras cidades a caminho de banir carros em certas áreas. Sem mencionar a experiência com bicicletas e patinetes no Brasil e outros locais (inclusive a China, que viu uma falência em massa de empresas de bike sharing).
  • Energia solar em escala. Enquanto muitos competem pela construção do maior parque de energia renovável, Liubliana usa qualquer cantinho e anunciou a construção de um parque solar que deve suprir 7% da energia gasta por seu aeroporto. Não é nada, não é nada, são quase 200 toneladas de gás carbônico a menos na atmosfera. Isso requer que a responsabilidade saia de empresas de energia elétrica, que buscam projetos lucrativos acima de tudo, para o usuário final. Como o caso do aeroporto, que não está no negócio de lucrar com energia, mas tem todo interesse em diminuir suas emissões poluentes. O mesmo acontece com várias empresas brasileiras, como é o caso da… [Continue lendo aqui]

Deixe um comentário