Ex-Presidente do BC e guru econômico de Moro diz que criptomoedas são uma insanidade coletiva

LinkedIn

Affonso Pastore, ex-presidente do Banco Central do Brasil e atual conselheiro financeiro do possível pré-candidato à Presidência da República, Sérgio Moro, disse que as criptomoedas são uma insanidade coletiva.

A afirmação foi feita durante entrevista para O Antagonista. Depois de falar que “nós temos um sistema bancário que é muito concentrado no Brasil” e comentar sobre os problemas econômicos do país que terão de ser resolvidos pelo próximo presidente da república, Pastore foi questionado sobre criptomoedas e respondeu:

“Eu realmente não consigo entender que raio as pessoas têm dentro da cabeça.” 

Pastore mostrou descrença nos criptoativos e respondeu de maneira irônica:

“Criptomoeda não é um ativo, ela não tem um valor intrínseco. Simplesmente é uma coisa volátil. Ela gasta uma quantidade de energia gigantesca. Para os minininhos brincarem de comprar e vender criptomoeda, o Brasil está gastando US$ 6 bilhões. Eu acho isso uma loucura.”

O ex-presidente do BC falou sobre as novas tecnologias, reconheceu a importância do PIX, mas voltou a criticar as criptomoedas:

“Você pode dizer ‘moeda digital seria importante?’, eu acho que o meio de pagamento, a nota que você carrega no bolso, podia perfeitamente ser substituída por um cartão de crédito e o banco central poderia emitir moeda eletrônica, dentro de um sistema de computador. O PIX faz isso. Mas isso não tem nada a ver com criptomoeda. Criptomoeda é uma insanidade coletiva, que custa muito para o mundo do ponto de vista do consumo inútil de energia, e está custando para o Brasil (e estamos só no começo da onda da criptomoeda) US$ 6 bilhões por ano.”

Por Rafael Chinaglia

Deixe um comentário