Novos meios de transporte revolucionários, investimentos monstro, mas o que é verdade ou boato?

LinkedIn

O VAI-E-VEM DOS NEGÓCIOS DO VAI-E-VEM

Novos meios de transporte revolucionários, investimentos monstro, mas o que é verdade e o que é boato? Quem ganha com as mudanças no transporte?

 

No seu auge, o Império Romano contava com uma rede de 400 mil quilômetros de estradas ligando todas suas províncias. Encapavam a Europa, parte da Ásia, Oriente Médio e África. De fato, algumas estão em uso até hoje. Diversas delas foram alargadas para receber mais faixas, todas ganharam asfalto por cima, um ou outro posto de gasolina, mas no fundo, no fundo, são as mesmas construídas por volta de 300 antes de Cristo. Bom, na época, o líder do Senado, Ápio Cláudio, prometeu que os 300 quilômetros da Via Ápia ficariam prontos em 310 a.C., mas você sabe como as empreiteiras são…

Agora, estima-se que em 300 a.C. viviam entre 110 e 150 milhões de pessoas no mundo todo. Hoje são 7,6 bilhões. No seu auge, o Império Romano tinha 90 milhões de súditos sob seu comando. Hoje, somando só a Itália e França temos 130 milhões. Certo, para os ner… digo, aficionados em cultura pop, o Império Romano nunca conquistou toda a França. Havia uma pequena aldeia de gauleses irredutíveis que, graças a uma poção mágica… bom, isso é outra história.

No auge do império, Roma contava com um milhão de habitantes. Hoje, são 2,8 milhões.

Isso sem falar que tudo o que comentamos é uma estrutura criada para a circulação de pessoas, carroças e cavalos. Na Idade Média, as coisas pioraram. A ordem era fazer tudo o mais próximo possível, para que as cidades pudessem ser muradas e resistir a ataques. E, salvo raras exceções, as cidades pelo mundo afora foram se desenvolvendo baseadas nesses dois modelos porque ninguém sabia fazer diferente.

Não é à toa que as cidades hoje enfrentam problemas logísticos enormes. E com eles vêm soluções. Algumas mais viáveis, outras não. E, em algumas, existem empresas da B3 que podem se beneficiar muito. Vamos acompanhar… [Continue lendo…]

Deixe um comentário