Ações da Netflix caem mais de 17% com desaceleração do crescimento de assinantes do 4T21

LinkedIn

A Netflix (NASDAQ:NFLX) divulgou os lucros do quarto trimestre após o fechamento do mercado de quinta-feira (20). O streamer bateu tanto no topo quanto no fundo, mas as ações negociadas na Nasdaq caíram cerca de 17,2% nas negociações após o expediente.

A Netflix também é negociada na B3 através do ticker (BOV:NFLX34).

As ações NFLX34 fecharam em queda de -0,8%, encerrando o dia com o último preço de R$ 55,70 reais. O Máximo de 52 semanas é de R$ 78,12. O Mínimo é de R$ R$ 48,84.

Resultados principais:

  • Lucro por ação (EPS): US$ 1,33 contra US$ 0,82 centavos esperados em uma pesquisa da Refinitiv com analistas.
  • Receita: US$ 7,71 bilhões contra US$ 7,71 bilhões esperados, de acordo com a Refinitiv.
  • Adições líquidas globais de assinantes pagos: 8,28 milhões contra 8,19 milhões esperados, de acordo com estimativas da StreetAccount.

A Netflix e os analistas previam um grande salto nos consumidores no final de 2021, quando a empresa lançou novos programas de TV e filmes, que haviam sido adiados para a segunda metade do ano.

No 4T21, a Netflix lançou conteúdo de alto desempenho, como “Emily in Paris”, “Don’t Look Up”, “Red Notice” e “You”.

A empresa adicionou 8,28 milhões de assinantes líquidos globais pagos no quarto trimestre. Analistas esperavam que a empresa adicionasse 8,19 milhões de assinantes líquidos globais pagos, de acordo com estimativas da StreetAccount.

Mas a desaceleração do crescimento de assinantes fez com que as ações caíssem depois do expediente. No quarto trimestre de 2020, a Netflix adicionou 8,5 milhões de assinantes. A empresa também disse que para o primeiro trimestre de 2022 espera adicionar 2,5 milhões de assinantes, em comparação com os 3,98 milhões adicionados no primeiro trimestre de 2021. A Netflix disse que espera uma lista de conteúdo mais ponderada no primeiro trimestre, com grandes estreias marcada para março.

A Netflix disse que o aumento da concorrência de outras empresas foi um dos motivos da desaceleração, embora no passado tenha dito que empresas como Apple e Disney não afetariam materialmente o crescimento.

“Os consumidores sempre tiveram muitas opções quando se trata de entretenimento – competição que só se intensificou nos últimos 24 meses, à medida que empresas de entretenimento de todo o mundo desenvolvem sua própria oferta de streaming”, disse a Netflix.

“Embora essa competição adicional possa estar afetando nosso crescimento marginal, continuamos a crescer em todos os países e regiões em que essas novas alternativas de streaming foram lançadas”.

As ações da Disney e da Roku também caíram nas negociações após o expediente.

A Netflix anunciou aumentos de preços das mensalidades nos EUA e Canadá na semana passada. Nos Estados Unidos, o custo mensal do plano básico subiu US$ 1 dólar, para US$ 9,99. O plano padrão saltou de US$ 13,99 para US$ 15,49 e o plano premium subiu de US$ 17,99 para US$ 19,99.

A estratégia da Netflix é aumentar os preços à medida que os clientes se aprofundam ainda mais no conteúdo exclusivo da empresa. Os aumentos de preços podem ajudar a compensar o declínio do crescimento de clientes.

Fontes: CNBC, WSJ, FX empire, FX Street, Reuters, The Street, TipRanks

Deixe um comentário