Ouro fecha em alta com tensão na Ucrânia e expectativa pelo Fed

LinkedIn

O ouro fechou em alta nesta terça-feira, 25, ampliando os ganhos de ontem à medida que investidores buscam por ativos de segurança de olho no conflito geopolítico entre potências do Ocidente e a Rússia, além da decisão monetária de amanhã do Federal Reserve (Fed).

Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para fevereiro avançou 0,59%, a US$ 1.852,50 por onça-troy.

O cenário de elevada incerteza por conta das tensões políticas acerca da atividade militar russa na fronteira com a Ucrânia beneficiou a busca pelo ouro como ativo de segurança, segundo a analista da StoneX Rhona O’Connell. Ela estima que o ouro operará em torno de US$ 1,9 mil na segunda metade de 2022.

A Capital Economics, por outro lado, vê um futuro a curto prazo menos positivo para o metal precioso. Segundo a casa, o dólar deve valorizar no mercado cambial por conta do eventual aperto monetário do Fed nos próximos meses, o que tende a pesar sobre os contratos da commodity. Amanhã, a entidade divulga decisão que pode abrir caminho para alta do juro em março. O fortalecimento recente do retorno da T-note de 10 anos é outro fundamento de baixa para o ouro, aponta a Capital.

“Em grande medida, achamos que esses fatores estão sendo compensados pela demanda por ativos seguros, que permaneceu elevada nos últimos meses em um cenário de inflação global crescente, tensões geopolíticas crescentes entre a Rússia e a OTAN e, mais recentemente, mercados de ações mais fracos”, destaca a consultoria, em relatório. A Capital Economics projeta um nível ao redor de US$ 1,6 mil para o ouro até o fim do ano.

*Com informações de Dow Jones Newswires

Deixe um comentário