Biden impõe sanções à Rússia, Bitcoin reage e sua natureza descentralizada fica em evidência

LinkedIn

Os EUA bloquearão cinco dos maiores bancos russos e congelarão todos os ativos que detêm nos Estados Unidos, no valor de mais de US$ 1 trilhão, disse o presidente Joe Biden em entrevista coletiva na quinta-feira (24).

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, impôs sanções semelhantes na quinta-feira, congelando os ativos de todos os principais bancos russos e cortando-os dos mercados financeiros do Reino Unido, informou a Associated Press. O primeiro-ministro também busca impedir que empresas russas e o governo russo levantem dinheiro nos mercados do Reino Unido, uma medida que Biden ecoou em sua entrevista coletiva.

O bloqueio faz parte de uma série de sanções que os líderes dos EUA e do G7 concordaram para tentar conter mais movimentos do presidente russo, Vladimir Putin, depois que ele ordenou que suas tropas entrassem na Ucrânia – uma escalada das sanções mais fracas impostas no início desta semana.

Biden disse que, apesar de vários relatórios indicando uma provável expulsão da Rússia do sistema internacional de pagamentos Swift, não há planos para seguir esse caminho atualmente. As observações do líder dos EUA contrastam com a visão de Johnson enquanto ele pressiona “muito” para que a Rússia seja removida do sistema de pagamento Swift, de acordo com um relatório de quinta-feira do Financial Times.

“As sanções que impomos excedem Swift”, disse Biden.

Apesar de não ter removido a Rússia da Swift, Biden disse que os líderes dos EUA e do G7 estão de acordo em “limitar a capacidade da Rússia de fazer negócios em dólares, euros, libras e ienes”.

O Bitcoin recuperou US$ 39.000 em um rápido rali após os comentários de Biden depois de cair abaixo de US$ 35.000 na manhã de quinta-feira.

Biden acrescentou que os EUA também estão mirando o comércio russo em uma tentativa de “cortar metade das importações russas de alta tecnologia”, prejudicando assim o acesso do país a produtos e tecnologia.

A invasão da Ucrânia pela Rússia levou a uma “ruptura completa” nas relações entre o país e os EUA, disse Biden.

Sanções econômicas e suprimentos são tudo o que os EUA fornecerão à Ucrânia no momento, pois, de acordo com Biden, o país só envolverá tropas “se a Rússia entrar nos países da OTAN”.

Os EUA enviaram e enviarão tropas adicionais para países da Otan perto da Ucrânia, disse Biden.

Apesar de não seguir a rota Swift, as sanções impostas ainda buscam limitar a capacidade da Rússia de negociar internacionalmente.

No entanto, há dúvidas sobre a eficácia das sanções ocidentais à medida que os trilhos de pagamento alternativos, como Bitcoin e criptomoedas, se tornam mais amplamente utilizados e potencialmente surgem como novas ferramentas para os russos e seus bilionários alavancarem, informou a Bloomberg.

“Nem ditadores nem ativistas de direitos humanos encontrarão qualquer censura na rede Bitcoin”, disse Matthew Sigel, chefe de pesquisa de ativos digitais da gestora de investimentos VanEck, à Bloomberg.

À medida que as instituições financeiras russas são sancionadas e impedidas de fazer negócios com países estrangeiros, os cidadãos podem ficar presos, pois sua capacidade de enviar e receber dinheiro é prejudicada.

Indiscutivelmente ainda mais preocupante é a situação na Ucrânia, onde o banco central suspendeu temporariamente na quinta-feira o mercado de câmbio do país, impôs limites aos saques em dinheiro e proibiu a emissão de moedas estrangeiras para o público em geral quando o país declarou lei marcial, informou o The Wall Street Journal.

Em um evento geopolítico onde os líderes mundiais buscam mais influência e poder, os cidadãos geralmente arcam com os custos. No mundo digitalizado e financeirizado de hoje, as questões monetárias tornam-se mais aparentes à medida que os atacantes e aqueles que estão sendo atacados recorrem primeiro ao sistema financeiro – seja para restringir ou buscar asilo.

Para os cidadãos cumpridores da lei que acordaram hoje em estado de guerra, o Bitcoin garante a eles o direito de enviar e receber dinheiro, independentemente dos limites de retirada de dinheiro do banco central ou das posições políticas impopulares de seu líder.

Com informações de Bitcoin Magazine

Deixe um comentário