Energisa quer liderar a agenda de transição energética no Brasil

LinkedIn

O Grupo Energisa (BOV:ENGI11) quer liderar a agenda de transição energética no Brasil. Para isso, a empresa aposta na estratégia de diversificação dos negócios e grandes investimentos. O orçamento previsto para este ano é de R$ 5,6 bilhões, o maior da história da empresa. Esse valor supera em 41% os R$ 3,9 bilhões projetados para 2021 e também os R$ 2,4 bilhões de 2020.

“A gestão eficiente no controle de custos, expansão adequada da base de ativos e dinamismo das áreas de concessão norteiam nossa sólida posição financeira que permitiu aumentar os investimentos nos últimos anos”, afirma o executivo Financeiro da companhia, Maurício Botelho.

O segmento de geração distribuída solar fotovoltaica é o destaque do investimento de 2022, como informou a empresa em nota. A subsidiária da área, a Alsol, vai ficar com R$ 1 bilhão do valor total previsto para o ano. Até 2024, a empresa pretende construir cerca de 460 megawatt-pico (MWp) em ativos de geração distribuída, podendo multiplicar por cinco a atual base de 2 mil clientes no segmento. No ano passado, o grupo atingiu a capacidade instalada de geração distribuída de 77,7 MWp.

Grande parte do orçamento, no entanto, será direcionada às 11 distribuidoras da Energisa, que vão receber R$ 3,8 bilhões neste ano. Já os empreendimentos de transmissão vão ficar com R$ 362 milhões.

Entre as distribuidoras, o destaque é a Energisa Mato Grosso, unidade que receberá a maior fatia dos investimentos: R$ 793 milhões. Além dela, também estão na lista de prioridade a Energisa Rondônia (R$ 742 milhões); Energisa Mato Grosso do Sul (R$ 621 milhões); Energisa Acre (R$ 419,7 milhões) e Energisa Tocantins (R$ 365 milhões).

“Essa sinergia entre a distribuição e as novas áreas da empresa também nos permite ter uma visão conectada com a descarbonização por meio de ofertas inovadoras de soluções para indústrias, uma rede elétrica robusta e maior capacidade instalada de fontes renováveis”, afirma Botelho.

Na transmissão, que também está no foco da diversificação dos negócios da Energisa, a prioridade é o estado de Tocantins, que receberá a maior fatia dos investimentos, de R$ 230 milhões, destinados aos projetos ETT-1 e ETT-22. Este último foi adquirido em leilão realizado em junho do ano passado. O projeto inclui a instalação de um novo pátio em 138 kV da subestação Gurupi, em sinergia com o empreendimento ETT-1.

Informações Broadcast

Deixe um comentário