Meta Platforms (FBOK34) permite discurso de ódio contra russos

LinkedIn

De acordo com um relatório publicado pela Reuters, a Meta Platforms, Inc. (NASDAQ:FB) permitiu temporariamente que os usuários de suas plataformas Instagram e Facebook postassem discursos de ódio contra invasores russos, após a invasão russa da Ucrânia.

A empresa também permitiu postagens com ameaças de morte aos presidentes da Rússia e da Bielorrússia.

Um porta-voz do Meta disse: “Como resultado da invasão russa da Ucrânia, temporariamente permitimos formas de expressão política que normalmente violariam nossas regras, como discurso violento, como ‘morte aos invasores russos’. Ainda não permitiremos apelos credíveis à violência contra civis russos”.

Essa mudança temporária na política de discurso de ódio da Meta é aplicável na Armênia, Azerbaijão, Estônia, Geórgia, Hungria, Letônia, Lituânia, Polônia, Romênia, Rússia, Eslováquia e Ucrânia.

Criticando a empresa e pedindo ao governo dos EUA que interrompa as “atividades extremistas” de Meta, a Embaixada da Rússia nos EUA disse: “Usuários do Facebook e Instagram não deram aos proprietários dessas plataformas o direito de determinar os critérios de verdade e colocar nações contra uns aos outros”.

A Rússia baniu o Facebook na semana passada depois que Meta restringiu o acesso da mídia russa à plataforma.

A Meta, com sede na Califórnia, é uma das maiores empresas de TI do mundo. Suas ofertas incluem WhatsApp, Instagram, Facebook, Messenger, Facebook Watch, Portal do Facebook, Oculus, Giphy, Mapillary e Kustomer, entre outros.

As ações do FB fecharam em baixa de 1,7% na quinta-feira. Perdeu mais 0,2% nas negociações estendidas, encerrando o dia em US$ 194,80. No entanto, as ações estavam sendo negociadas em queda de -3,3% na manhã de sexta-feira às 12h09 (horário de Brasília).

A Meta Platforms também é negociada na B3 através do ticker (BOV:FBOK34).

As ações FBOK34 estão em queda de -3,6%, a um último preço de R$ 33,83 reais, próximo ao mínimo de 52 semanas de R$ 33,56 reais. O máximo de 52 semanas é de R$ 71,95 reais.

Consenso de Wall Street

Recentemente, Thomas Champion da Piper Sandler manteve uma classificação Neutra na ação e baixou o preço-alvo para US$ 240 de US$ 301 (23% de potencial de valorização).

Champion disse que, seguindo a orientação “desanimadora” da Meta para o primeiro trimestre, espera-se que os desafios para seus negócios de publicidade continuem até agosto, juntamente com uma desaceleração no crescimento de usuários ativos diários e aceitação de sua plataforma de vídeo de formato curto Reels.

Além disso, o analista da Arete Research, Rocco Strauss, reiterou uma classificação Hold na Meta e cortou o preço-alvo de US$ 381 para US$ 220 (potencial de alta de 12,7%).

Em uma nota de pesquisa para investidores, Strauss disse: “A Meta deve aumentar o engajamento e a monetização de ativos de vídeo de formato mais longo e mover rapidamente o metaverso do conceito para o mercado de massa para que as ações subam”.

No geral, a ação FB tem uma classificação de consenso de compra moderada (moderate buy) com base em 31 classificações Buy, 13 Hold e 1 Sell. O preço-alvo médio do FB de US$ 326,93 implica um potencial de alta de 67,5%. As ações perderam 44,7% nos últimos seis meses.

Tráfego do site

De acordo com a ferramenta de tráfego, em relação ao ano anterior, o tráfego do site da Meta registrou queda de 5,7% nas visitas globais em fevereiro. Além disso, o tráfego do site diminuiu 7,4% no acumulado do ano em relação ao mesmo período do ano passado.

Com informações de TipRanks

Deixe um comentário