Sanções da Rússia podem levar mais países a considerar CBDCs, diz ex-banqueiro central

LinkedIn

Sanções impostas à Rússia como resultado de sua guerra na Ucrânia podem levar mais países a considerar versões digitais de suas próprias moedas – conhecidas como moedas digitais do banco central ( CBDCs ) – como um contrapeso ao papel dominante do dólar americano, segundo um executivo do Bank of Japan (BOJ).

De acordo com Hiromi Yamaoka, ex-chefe de sistemas de pagamento e liquidação do Banco of Japan, “um país como a China” poderia ver as sanções à Rússia como uma forma de promover o uso de seu yuan digital existente para transações internacionais.

Tal movimento efetivamente criaria “um bloco monetário” que contrariaria o domínio do dólar americano no comércio internacional, disse Yamaoka à Reuters na quarta-feira.

“Defesa e segurança nacional provavelmente se tornarão temas-chave ao debater a CBDC”, disse o ex-executivo do BOJ.

Ele explicou ainda que a mais impactante das sanções ocidentais que foram impostas à Rússia até agora foi o congelamento de reservas estrangeiras.

“A arma mais eficaz e poderosa foi o congelamento das reservas estrangeiras da Rússia. Isso significa que os aliados dos EUA criaram intencionalmente uma situação que leva a Rússia ao calote”, disse ele.

Notavelmente, Yamaoka alertou contra o uso leviano de sanções na infraestrutura financeira, dizendo que esses são “meios de emergência” que nunca devem ser usados ​​em excesso.

Por fim, o ex-executivo do banco central disse que é improvável que criptoativos abertos e descentralizados sejam uma maneira viável de a Rússia contornar as sanções. Esses tipos de ativos são muito arriscados para serem usados ​​em grandes transferências de fundos, opinou Yamaoka.

Com informações de Cryptonews

Deixe um comentário